C. O Bom Marido no Canadá – Grouse Mountain; Ice Skating; Robson Square; Deep Cove; e Quarry Rock Hike

Das postagens numeradas, esta é a centésima (por isso o C. antes do título). Porém outras 55 foram feitas sem o propósito da numeração. Então esta é a 156ª postagem deste blog tão bonito que tenho desde Dezembro de 2011!!!

Uhuuu!

Deve ser por isso que não estou conseguindo postar mais fotos, afinal em mais de 150 postagens eu abarrotei meu WordPress de imagens, crente que o limite jamais extrapolaria!

Que pena! Justo agora que eu iria começar postando sobre o passeio que fiz com o Bom Marido para a Grouse Moutain, com direito a fotinhos da nossa desajeitada patinação no gelo e tudo mais…

Mesmo assim, segue o relato de mais alguns momentos de viagem. As fotos podem ser vistas, na íntegra e sem frescura neste álbum que deixei aberto em meu Facebook.

____

Dia 29 de janeiro de 2015.

Dia de conhecer a Grouse Mountain!

Após minha aula, encontrei Meu Amado no Centro e pegamos o Seabus até North Vancouver. Na Lonsdale Quay Bay pegamos o ônibus 236 sentido Grouse Mountain e descemos bem em frente ao local. Compramos nossos bilhetes, pegamos a gôndola e chegamos ao maravilhoso lugar onde muitas pessoas vão para esquiar, patinar no gelo e se divertir.

Como nossa intenção não era esquiar, compramos o tour guiado para ver a gigantesca turbina eólica The Eye of the Wind na qual é possível entrar por ela e subir de elevador a uma altura de 65 metros, onde existe um deck de observação. In-crí-vel!

Para chegar lá, percorremos uma trilha a pé sobre a neve e tivemos que usar um acessório nas solas das botas para evitar que escorregássemos no gelo.

Tiramos lindas fotos, passeamos de teleférico e vimos o pôr do sol em uma das paisagens mais estonteantes que existem.

Após o tour, alugamos uns patins e nos arriscamos a patinar no gelo. Puxa! Eu achava que seria difícil, mas achei igual à patinação normal com patins in line. Nunca me diverti tanto em minha vida! Thierry e eu patinamos até cansar.

Deu tempo até de assistirmos a um vídeozinho no The Theatre in the Sky a respeito da vida selvagem na Grouse Mountain. Depois disso, tomamos um lanchinho e pegamos o caminho de volta para Vancouver.

Foi muito bom!

Se um dia tivermos a chance de voltarmos para Vancouver, prometemos que tomaremos coragem para esquiar. Só será preciso alugar o equipamento e mandar brasa, ou melhor, gelo!

____

30 de janeiro de 2015. Sexta-feira.

Neste dia, após meu último dia de aula, voltei direto para o apê para almoçar com o Meu Amado. Cheguei com o diploma em mãos, afinal minha experiência de intercâmbio havia oficialmente acabado. Que pena! Passou tão depressa…

Mais tarde, encontramos a amiga Regina e o esposo dela na Robson Square e inventamos de patinar no gelo outra vez. Sorte que havíamos treinado um pouco na noite anterior, na Grouse Mountain!

Nos divertimos bastante, rimos, conversamos e terminamos a noite tomando um café na Tim Hortons. Foi muito bom! Gosto muito da Regina e fico extremamente feliz por ela estar bem em Vancouver, sendo muito amada e bem tratada!

A caminho do apê, Thierry e eu demos uma xeretada em um brechó bem curioso que fica na Robson Street. Pensamos que seria uma lojinha pequena com coisas toscas, mas era uma loja enorme com uma variedade incrível de roupas e acessórios exóticos de diversas épocas e para todos os gostos!

Claro que não compramos nada, mas foi divertido ver os itens que tem lá!

____

31 de janeiro de 2015.

Neste lindo sábado nublado pudemos aproveitar o dia todo de passeio. O Bom Marido quis conhecer Deep Cove, então lá fomos nós para North Vancouver outra vez!

Pegamos o ônibus 211 e chegamos à tranquila Deep Cove. Demos uma pequena circulada pela cidade e, antes de encararmos alguma trilha, passamos em uma cafeteria para comprarmos um chocolate quente para acompanhar nosso piquenique de sanduíche de pão integral com peito de peru e queijo, cookies e chá verde.

E partimos para nossa caminhada pela Baden Powell Trail rumo à Querry Rock Hike. Até que estava lotado o lugar! Muitas pessoas fazendo trilha por ali. Uma longa trilha, por sinal.

Ao chegarmos à Querry Rock, nos deparamos com uma vista de tirar o fôlego. Não é à toa que esta trilha é uma das mais populares por lá. Não exige muito esforço para percorrê-la e é uma trilha muito bonita e agradável.

Lá no topo, sentamos para apreciar a vista e tirar algumas fotos. Voltamos para a cidade, onde passamos por uma galeria de arte e finalizamos com um chocolate quente e um donuts gigantesco na Honey Doughnuts & Goodies – uma aconchegante cafeteria que fica bem no centro da cidade.

Pegamos nosso ônibus de volta para Vancouver, caminhamos até o apê e jantamos uma porcariazinha em um Burger King ali perto! Foi só porque o Bom Marido estava louco por um hamburgão, pois eu fiquei só nos nuggets mesmo!

E este foi mais um maravilhoso dia de passeios.

Último dia do mês. Só nos restava uma semana de viagem, por isso fizemos questão de aproveitar na medida do possível e dos nossos bolsos!

____

Obrigada pela visita e até o próximo episódio das Aventuras do Bom Marido no Canadá.

😉

Anúncios

XCV. O Bom Marido no Canadá – Capilano River Regional Park; Passeio em família; Piquenique gelado; Lonsdale Quay Market; Fudge; Tim Hortons; DQ; Stanley Park…

18 de janeiro de 2015.

Sábado foi dia de fazer um passeio em “família”!

Sim, família entre aspas, pois além de nós dois (Thierry e eu) só havia a minha irmã ali como parente. E como eu queria muito que ela conhecesse um pouco de North Vancouver, resolvemos convidá-la para dar uma voltinha por aquelas bandas de lá.

Na hora de contar as moedinhas para o ônibus, encontramos uma moeda de 25 cents de uma edição comemorativa de 2006, a respeito de uma campanha de conscientização sobre o câncer de mama. Esse tipo de moeda dá até dó passar adiante! Coisa de colecionador!

Fomos para a estação Waterfront, onde pegamos o Seabus para North Vancouver.

Lá pegamos um ônibus sentido Grouse Mountain e descemos próximo ao Capilano River Regional Park. Ao chegarmos lá, nos perdemos para achar a entrada do parque!

E toca olhar nos mapas da vida, afinal não havia uma pessoa sequer ali perto para nos dar alguma informação. O jeito foi caminhar até achar uma entradinha qualquer.

Uma vez feito isso, resolvemos explorar a área, seguindo algumas trilhas que nos levaram a belíssimas paisagens que foram devidamente registradas por nós.

Estava um frio de lascar. Sorte que estávamos bem agasalhados, mas quando paramos para fazer nosso piquenique, parecia que estávamos no meio do famoso filme Frozen. Let it go, let it go… (Só para constar, o Bom Marido detestou esse filme por causa das musiquinhas e blá blá blá!)

Avistamos uma turma que estava fazendo piquenique ali perto e percebemos que eles já deveriam estar acostumados a esse tipo de passeio em temperaturas baixíssimas, pois haviam levado garrafas térmicas com bebidas quentinhas para aquecerem o corpo… (Nota mental para futuros piqueniques de inverno: garrafa térmica com café ou chocolate quente será um item fundamental!!!)

Após o lanche, fomos dar uma olhadinha na Capilano River Hatchery, onde tem uma incubadora e diversos quadros com explicações a respeito do ciclo dos peixes. Até encontramos um amiguinho de penas que estava ali de olho nos peixes também!

O Capilano River Regional Park é um belo local que atrai canoístas, ciclistas, turistas e até mesmo cineastas, pois muitas produções cinematográficas são feitas neste belíssimo lugar. São várias trilhas a serem percorridas. E eu que pensei que o Thierry fosse detestar essas andanças todas, ele estava era adorando aquilo tudo!!! Se a mamãe dele soubesse o quanto fez bem para ele essas trilhas nos parques canadenses, certamente ela não o teria deixado voltar de lá!

Passamos pelo Cleveland Dam e nos aventuramos a tirar fotos de cima da barragem (sem medo de deixar as câmeras caírem) e fotografamos também a Grouse Mountain, que estava em nossos planos de passeio para dali a alguns dias.

Conforme foi escurecendo, pegamos o ônibus de volta para Lonsdale Quay e eu fiz questão de mostrar o Lonsdale Market para minha irmã, que durante esse tempo todo nunca tinha ido lá!

Até subimos na torre do grande “Q” que enfeita o lado de fora do mercado!

Entramos no Lonsdale Quay Market para minha irmã conhecer e aproveitamos para comprar uns doces na Olde World Confections Fudge – Belgian Chocolates.

Fudge! Uma delícia de doce. Só não é possível devorar um pedaço inteiro sozinho, pois acaba ficando enjoativo. Mas compramos 3 fatias para experimentarmos com calma e guardarmos o restante para os outros dias. Compramos um tradicional, um de chocolate com menta e outro de nozes. Nham!

Tomamos o Seabus de volta para Vancouver e resolvemos seguir a pé até nosso apartamento, parando antes no Tim Hortons para nos deliciarmos com um merecido e acolhedor chocolate quente! Ah, que maravilha!

Mais tarde, já em nosso apê, o Bom Marido preparou nosso jantar: Peixe desfiado ao creme e Hash browns. O meu ainda contou com uma saladinha e uma fatiazinha de queijo para incrementar!

Perfeito!

____

Já no domingo, dia 18 de janeiro de 2015, não saímos para longe. O dia estava meio chuvoso e o Thierry estava doido para provar o hambúrguer de uma rede de restaurantes chamada DQ (Dairy Queen Inc.)

Como sabíamos que havia um DQ perto do nosso apê, resolvemos almoçar lá e depois esticar para o Stanley Park para caminharmos um pouco.

Resolvemos explorar uma trilhazinha que ainda não havíamos percorrido e até tiramos foto de umas árvores caídas, em especial uma que caiu no meio da trilha, mas que ao invés de ter sido totalmente retirada, foi apenas recortada para liberar a passagem!

Esses passeios me faziam querer ficar cada vez mais em Vancouver, pois mesmo no frio, mesmo com o tempo feio, sempre tinha algo bonito para se ver.

Ai ai… Que saudades de lá! Espero um dia poder voltar para essa linda cidade canadense. E o Bom Marido, com certeza, também espera!

____

E assim concluímos mais um final de semana da nossa incrível viagem.

Obrigada pela visita e até o próximo episódio das Aventuras do Bom Marido no Canadá.

😉