CVI. E lá vem o “Valentine’s Day” outra vez…

Seria curioso comemorar o Dia dos Namorados em fevereiro, pertinho do Carnaval, ou como o próprio nome sugere: festa da carne!

IMG_8615Já temos nosso Dia dos Namorados em junho, numa época de friozinho gostoso e namoro embaixo das cobertas!  Por isso os brazucas nem dão muita bola para o tal do Valentine’s Day (Dia de São Valentim), comemorado em 14 de fevereiro.

Namoro é coisa fofa, compromisso, responsabilidade, cuidar de alguém, se importar com alguém, amar, ser amado, mimar e ser mimado.

Gostar das mesmas coisas, mas nem sempre. Olhar na mesma direção, mas nem sempre. É conhecer, descobrir, entender e respeitar.

Não é só beijo na boca e sexo. É amor e carinho. É fazer uma comidinha gostosa para a pessoa amada, ligar para saber se a pessoa está bem, ou mandar um WhatsApp também, por que não?

pipocasÉ andar de mãos dadas, assistir a um filme com pipocas em casa, naqueles dias em que o tempo está feio demais para sair, ou a grana está curta demais para gastar com cinema.

Namorar é gostoso e faz bem. Quando duas pessoas estão em sintonia e gostam de estar perto uma da outra, é natural que queiram firmar um compromisso sério.

E não precisa de data especial para provar o amor que sentem. Todo dia é dia de demonstrar carinho, mas sem a obrigação de fazê-lo. A pessoa estando feliz é o que basta.

Namoro é isso: é querer ver o outro feliz. Se possível, causar e/ou participar dessa felicidade.

29/12/2013 - 3 anos de Namoro - Thierry e ElaineAlguns desentendimentos rolam no meio do caminho? Sim, claro. Não existe relacionamento perfeito, casal perfeito, par perfeito. Tudo é descoberta, entendimento e aceitação. E aprendizado. Muito aprendizado!

Namorar é como fazer um cursinho pré-vestibular para a Universidade do Amor. Amor. Universo. Amar. Um só verso. No diverso.

Sejamos todos universalmente felizes no Amor!

____

Obrigada pela visita e até à próxima!

😉

____

Dica de presente para o “Valentine’s Day”:

Fundo_blog

Happy Valentine’s Day!

Anúncios

LXXXIX. Homens que fazem faxina fazem mais amor!

Tá, Ok! Eu sei que o certo seria dizer: “Homens que fazem faxina transam mais”, porém eu sou uma lady e uso o termo “fazer amor”, pois é mais bonitinho!

(Mentira! Quem me conhece, sabe que eu sou bem desbocada e uso termos engraçadíssimos para essas coisas! Agora venho querer me fazer de santa? Essa não cola, Dona Elaine. Tsc tsc tsc…)

Baboseiras à parte, resolvi dar uma pausa nas postagens das Aventuras do Bom Marido no Canadá por dois motivos:

Thierry_louça1- As fotos da viagem estão no meu outro note e meu HD ameaçou explodir, então enquanto eu não comprar um novo, não quero fuçar naquele, com medo de perder quase tudo o que eu tenho e que não tive como fazer backup, incluindo as fotos da viagem!!! (Que tragédiaaaa!!! E que burrice da minha parte também!)

::: Mas só para não passar em branco, eis aí ao lado a foto do Thierry fingindo lavar louça em um passeio que fizemos ao Burnaby Museum, no dia 02 de janeiro de 2015.

2- Mandei uns arquivos no Facebook de um amigo e ele pediu desculpas pela demora em responder, dizendo que era por que ELE estava fazendo FAXINA! Hahaha! Até já o imaginei, todo barbado, de aventalzinho, lencinho na cabeça e espanador na mão! Daí brinquei com ele dizendo que homens que fazem faxina fazem mais amor (na verdade não foi bem com essas palavras que eu disse! rs)

E para completar, mais um amigo ouviu de mim uma frase parecida durante as gravações do curta-metragem “O Último Olhar”, no qual atuei recentemente. Esse amigo fez parte da equipe do curta e enquanto as gravações rolavam, lá estava ele lavando toda a louça que usamos e ajudando a limpar a cozinha da dona da casa onde gravamos! Um fofo!

Então, lá fui eu explicar para os camaradas acima os motivos que levam a crer que: Homens que fazem faxina (e lavam a louça) são bem-sucedidos “naquilo”!!! Hehehe!

Bom, se o cara é casado (ou vive junto, namora, enrola, sei lá) e ajuda sua(seu) parceira(o) nos afazeres domésticos, sua cara-metade ficará radiante de felicidade e gratidão pela força e terá muito mais tempo de curtir momentos a sós com ele. Simples assim!

homem_ajudandoImagine uma pessoa que chega toda cansada do trabalho, sendo que o dia inteiro aguentou cliente chato ou criança pentelha ou até mesmo um chefe osso duro de roer e ainda tem que lavar a piiiilha de louça e limpar a casa quando chega?

Nada mais justo que dividir as tarefas com o(a) parceiro(a), não é?

Nem que uma pessoa cozinhe e a outra lave. Ou então, um limpa a casa e o outro leva o lixo lá para fora, ou a mãe arruma as bagunças enquanto o pai cuida das crianças. Enfim, o importante é dividir as funções, afinal foi-se o tempo onde o homem trabalhava enquanto a mulher só ficava em casa cuidando de tudo (o que já era trabalho e tanto, por sinal!)

breakfast_by_ThierryMas se o cara não é casado, porém mesmo assim dá aquele trato no próprio lar e tem o costume de levar uma pessoa especial para passar a noite junto com ele, assistindo a um filminho, ou fazendo um jantarzinho esperto, essa tal pessoa perceberá o asseio do rapaz e estará mais propensa a encarar uma noite de amor com ele.

Aparência conta sim!

Imagine a pessoa chegando na casa do cara e se deparando com bagunça para todo canto, cueca suja no chão, quarto abafado fedendo a bafo e lençol velho, banheiro imundo com o cesto de lixo todo aberto explodindo papel sujo e mais um monte de outras nojeiras que nem ouso citar… Ainda que o cafofo seja de pobre, tem que ser limpinho, cheiroso e arrumadinho, não é?

casalimpaBagunça, sujeira, tranqueira e mau cheiro são coisas para lá de broxantes em um relacionamento (seja ele de uma única noite ou não!)

Então, senhores homens de plantão: dar uma força na faxina faz bem e garante mais tempo de amor na vida do casal!

#Ficaadica

😉

II. O Príncipe Encantado

Existem diversos tipos de princesas, certo? Loiras, morenas, ruivas, recatadas, borralheiras, decididas, baixinhas, rebeldes, sofredoras e por aí vai… Então obviamente existem diversos tipos de príncipes encantados. Concordam?

nem toda princesa é igual

Esse negócio de “príncipe encantado não existe” é porque a princesa está sonhando com o príncipe errado! Cada princesa combina com um príncipe. Não adianta querer ter o príncipe igual ao da outra, porque não vai rolar. Encontrar o tipo de príncipe ideal ao seu perfil é fundamental para não se decepcionar no relacionamento.

Demorei a perceber que tipo de princesa eu era e “perdi” boa parte da minha vida tentando me dar bem com os príncipes errados. Não digo exatamente que “perdi” porque aprendi muita coisa com os indivíduos que namorei, mas… se eu tivesse sacado antes, não teria me desgastado tanto com relacionamentos sem futuro algum!!!

Sapo de Coroa

E o mais engraçado é que o príncipe certo já estava me rondando há tempos. Eu, teimosa feito uma mula, fugia dele por achar que eu tinha que procurar um cara que fosse tão elétrico, arteiro e agitado como eu. Conflito na certa. Mas, depois de muito quebrar a cabeça e estafar o coração, eis que o destino, cansado de me ver fazendo tanta burrada, esfregou na minha cara o tal príncipe encantado que há tempos estava à minha espera e percebi que ele combina direitinho com esse meu jeito louco e geminiano de ser: um cara totalmente calmo, sossegado, carinhoso e aquariano. Um doce de pessoa.

E assim surgiu o que faltava em meus relacionamentos: EQUILÍBRIO!

equilibrio