LXXII. Cuidando direitinho

Thierry e Elaine fazendo graçaDevo confessar que tenho andado bem chata, irritada e impaciente esses dias. Qualquer coisinha fora do lugar já me deixava uma pilha de nervos. Muitos problemas, muitas coisas para resolver, a saúde bem abalada…

Minha irritação, internamente, era também uma reação à indiferença das pessoas ao redor. Era como se, no fundo, eu achasse que todo mundo devesse estar a par dos meus problemas e se comover com isso.

Mas não é bem assim. Uma coisa que aprendi bastante com relacionamentos anteriores e, principalmente, com o atual foi que cada um deve estar sempre prestando atenção, não somente ao outro, mas também em si mesmo. Se autoavaliar, se colocar no lugar do próximo, refletir e perceber até que ponto nossas ações e reações estão chateando as pessoas que amamos.

Sorte que tenho o mais paciente dos noivos, mas acredito que, até ele tem saído dos eixos por causa dessa péssima fase pela qual estou passando.

E não se trata de TPM! Desta vez o que me tirou do sério foi ter extraído um siso pra lá de complicado e ter pego um baita resfriado, tudo ao mesmo tempo… E com isso, muitas coisas que eu havia planejado fazer esses dias tiveram que ser descartadas, pois minha recuperação pós cirúrgica foi pior do que eu havia imaginado.

Me lasquei bonito, pois não tive como ir a um super evento literário onde eu poderia ter vendido uma quantidade bacana de livros; paguei antecipadamente por um workshop de TV e Cinema master caro (esse eu tive que ir, pois o acesso era mais fácil), mas não aproveitei 100% do mesmo, tanto pelas dores quanto pela dificuldade de falar e atuar nas cenas propostas… Pelo menos o diretor do workshop e uma das alunas compraram meus livros!

E o pior de tudo: perdi vários trabalhos por causa disso. Tudo bem que uns foram cancelados, outros foram adiados, mas eu acabei impossibilitada de correr atrás de outros, às pressas, para substituir essas perdas.

(Vida de freelancer é assim: corre atrás aqui, corre atrás ali… Se mata, se desdobra, não vive, não come, não dorme e não pode nem pensar em ficar doente…)

E todo esse estresse gerado pelos meus problemas acabou afetando onde não deveria: meu relacionamento.

Tudo bem que, não são apenas nas horas boas que as pessoas devem ficar próximas. Mas eu não gosto de chatear Meu Amado com meus problemas, pois ele acaba absorvendo demais e se entristecendo muito também. Isso sem falar que eu fico nervosa com tudo dando errado e acabo descontando em quem está perto.

Mas como eu já citei várias vezes, tenho sorte de ter um cara tão bacana, carinhoso e compreensivo ao meu lado.

Preocupado com minha saúde e as minhas atuais necessidades, especialmente por causa da alimentação, ele faz tudo pensando em mim: purê de batata com espinafre, frango cremoso desfiado, miojinho, sopinha, etc…

Fora isso ele fica de olho para ver se tomei os remédios e está sempre me trazendo um cházinho, um café, um copo com água! Um verdadeiro cavalheiro e de quebra um ótimo enfermeiro também! hehe

Só mesmo o amor para suportar um rosto inchado, olheiras, tosse carregada, nariz escorrendo, várias assoadas de nariz bem sonoras e nojentas, fora os trajes de mendiga que sempre uso quando estou doente: moletom, blusas de lã, roupão, touca e pantufinhas macias. Cada coisa de uma cor mais bizarra e sem graça que a outra! Um luxo! rs

Mas é isso aí… O amor suporta tudo, mas não é por isso que iremos sobrecarregá-lo com problemas e pendências que precisam ser resolvidas. É só prestar atenção para não transformar o coração em um cesto de roupa suja que só vai aumentando, aumentando até explodir e alguém finalmente resolver lavar.

E hoje é meu aniversário. Ainda estou toda dolorida por causa do siso e ainda estou tentando me recuperar de um resfriado porreta, mas estou feliz e agradecida pelo grande presente que é ter um Príncipe Encantado cuidando de mim com tanto carinho!

Espero que muitos outros namorados, noivos, maridos e afins façam o mesmo por suas amadas!

#ficaadica

XXIII. A importância da família

O Bom Marido é aquele que se dá bem com a família da Boa Esposa. E além disso, é aquele que não só se dá bem como também gosta muito dos parentes dela.

vinho branco

06 de Abril, Sexta-feira da Paixão. O famoso dia onde é proibido comer carne. Minha mãe sempre faz dois tipos de peixe ensopado: o tradicional bacalhau e o meu predileto, o cação.

Eu nunca vi o Thierry ou a família dele expressando qualquer tipo de crença ou costume religioso, mas é sabido que os europeus tendem a ser bem rigorosos nesse assunto. Pelo menos os pais dele são.

cação ensopadoA minha sogrinha até ligou para o filhote avisando que ele não deveria comer carne na Sexta-feira Santa. Ele até respeita a data, mas não é do tipo que acredita em alguma coisa.

Mas eu acredito. E fiz questão de ir para minha casa almoçar com minha família. Meu amado foi junto, mesmo tendo um trabalho urgente a fazer. Almoçamos, curtimos o dia em família e até mesmo assistimos àquele filme do Padre Marcelo Rossi que estava passando na Globo, o “Irmãos de Fé”.

Ainda que o importante seja a mensagem do filme, Thierry não perdeu a chance de criticar o mesmo, apontando os pontos negativos do cinema brasileiro! E com razão… Os filmes feitos no Brasil, principalmente os de caráter religioso, parecem subestimar a capacidade de pensar do povo brasileiro… É um tipo de filme feito para a massa, onde tudo é muito mastigadinho, muito “legendado” e sem ritmo. Claro que nem todos se encaixam nessa crítica, mas no geral é assim que funciona.

Thierry deu uma Colomba e um Ovo para MamãeMas como o assunto de hoje não é filme e sim família, devo elogiar o comportamento do meu amado, pois ele é muito atencioso e gosta bastante dos meus pais. E é recíproco. Meus pais também gostam muito dele!

Meu Amado até fez questão de comprar uma Colomba Pascal e um Ovo de Páscoa para minha família! Um gesto simples, mas que demonstra muito carinho!

E no final das contas é exatamente isso que importa. Independente de crença, religião, costume, etc, o bom é respeitar e estar com quem a gente ama. O bom é estar em família!

Graças a Deus!família

XIV. Coisas em Comum

Um dos pontos que ligam uma pessoa a outra é a afinidade, ou seja, gostar das mesmas coisas, ter algo em comum.

Já mencionei lá no início (Capítulo II) que meu namorido e eu somos bem diferentes em diversos aspectos.

Mas agora venho aqui para falar das coisas que temos em comum, mesmo que indiretamente!

Segue a listinha:peixeCozinha: Thierry prefere cozinhar, eu prefiro lavar a louça! Ótimo, assim ninguém briga!

Computador: Thierry e eu costumamos ficar horas em frente ao computador. Eu, pesquisando, lendo e atualizando as redes sociais. Ele, se divertindo com aqueles jogos bem violentos, trabalhando e assistindo a diversos videos de tutoriais!

Música: Eu sou mais Heavy Metal, Thierry é mais Classic Rock, mas ambos apreciamos Música Clássica!famílias

Cinema: Nós dois adoramos gravar curtas e participar de projetos cinematográficos bem interessantes! Porém, eu em frente e Thierry sempre por trás das câmeras.

Família: Minha família é enorme, calorosa e barulhenta. Já a do Thierry, dá para contar nos dedos das mãos! O comum é que são famílias lindas e unidas que nos apóiam em tudo e são muito amadas tanto por ele quanto por mim!

Natal2010Visual: Eu sou um pouco mais ousada na vestimenta, diria até que sou um pouco exótica. Já o Thierry é extremamente discreto e conservador. Mas ainda assim nós dois abusamos das cores escuras. Roupa preta é o que não falta em nossos guarda-roupas!

Social: Sou obrigatoriamente muito mais descontraída, comunicativa, social e extrovertida que o Thierry. Aliás, ele quase não fala, não sai e tem pouquíssimos amigos. Mas é inegável que nós dois preferimos mil vezes ficar em casa quietinhos assistindo a alguns filmes e seriados, a ficar por aí socializando!

Natureza: Eu amo comidas naturais, salada e vida saudável. Thierry detesta! Mas ele adora cuidar de plantas (tem um monte na casa dele!) e eu adoro ver a casa cheia dessas plantas tão lindas que ele cuida com tanto carinho!

Bebidas: Thierry é do tipo que não dispensa uma cervejinha. Eu detesto! Mas o que nós dois apreciamos juntinhos é um bom e velho vinho tinto seco, sempre presente em nossas comemorações especiais, sejam elas pequenas ou grandiosas!

Pintura de rostoFilhos: Adoro crianças. É um imenso prazer quando faço espetáculos ou eventos infantis e tenho a oportunidade de interagir com os pequenos. Já o Thierry tem total aversão a crianças (algum tipo de trauma que ele tem e nem mesmo ele sabe explicar). O bom disso é que nenhum de nós dois pretende ter filhos, afinal eu nunca me senti preparada para ser mãe.

Amor: Sou uma pessoa mais prática, seca, agressiva e insensível. Totalmente o oposto do Thierry. Mas o comum disso tudo é que a gente se ama e se respeita de todas as formas possíveis, onde cada um entende a necessidade do outro: Thierry me dá espaço quando preciso e eu sou bem carinhosa e presente quando vejo que ele precisa!

Ah! Tem tantas outras coisas que nós gostamos e curtimos juntos!

Por exemplo: Gatos! Somos apaixonados por felinos e até temos um de estimação, que por sinal foi o próprio Thierry que me deu de aniversário! Mimamos tanto esse gato, o Lucky, que quem vê até pensa que se trata de um bebê! Mas ele realmente é o nosso bebê! Um fofo! Vejam:1 ano Bem, a lista é imensa! São várias coisinhas bacanas que temos em comum, outras nem tanto, mas estão indiretamente relacionadas!

Às vezes não é preciso encontrar alguém que goste exatamente e igualmente das mesmas coisas que você. O importante é achar os pontos em comum, mesmo que seja nas diferenças!

“O que faz cada um ser especial é a originalidade de ser o que é sem se importar em copiar para agradar”. E. Thrash – 2012

Personalidade é tudo em um relacionamento. As trocas são necessárias, mas a perda da essência, não!

E cada um deve respeitar isso no outro para, só assim, ter um namoro, rolo, noivado ou casamento feliz, não acham?

___

::: Ah, já ía me esquecendo! peixe

É óbvio que aquele prato da primeira foto foi o Thierry quem fez, né? Um espetáculo!

Faz tempo que a gente não come um desses: Peixe Vermelho assado com Molho de Champignons e Purê de Batata. Tudo isso com o toque especial do meu chef predileto: Monsieur Thierry Durieux!

Não sou capaz de lembrar detalhes da receita, ingredientes, marcas e temperos extras, mas quando o Thierry fizer outra vez, eu anoto e publico aqui!

___

Obrigada pela visita e continuem acompanhando!