XCVI. O Bom Marido no Canadá – New Westminster; TacoTime Tuesday; Queensborough Outlet; Capilano River Regional Park; Trees Organic; Foodwares Market; and Denny’s

Em mais uma semana de aventuras do Bom Marido no Canadá, resolvi refazer alguns passeios que eu já havia feito (com ou sem ele, e também com ou sem minha irmã) por Vancouver e arredores.

::: Obs.: Reuni as atividades dos dias 19 a 23 de janeiro, então a postagem está aparentemente longa, mas ainda assim dá para ler numa boa. Ou então, veja as fotos, pelo menos!

Segunda-feira, 19 de janeiro de 2015.

Após a aula, o Bom Marido e eu fomos passear em New Westminster, uma cidadezinha, assim podemos dizer, localizada na Grande Vancouver.

Assim que chegamos lá, a primeira coisa que fizemos foi procurar alguma coisa para almoçarmos. Diante da preguiça de gastar dinheiro e da vontade de comer algo rápido e prático, optamos pela pizza.

Confesso que, da outra vez que estive em Vancouver, eu achei esquisito ver essas lanchonetes que vendem pizza em plena luz do dia. Na minha cabeça, pizza sempre foi aquela refeição tão aguardada em alguns jantares de final de semana, especialmente quando voltávamos de viagem e ficávamos, minha irmã e eu, atormentando nosso pai para comprarmos uma pizza bem suculenta na antiga pizzaria “Cê Q Sabe”, em nosso bairro.

Em meu outro blog, comentei sobre “pizza em plena luz do dia” em um piquenique que meus amigos e eu fizemos na praia. Uma série de coisas estranhas na mesma situação: pizza + piquenique + praia!

Mas enfim, nesta última viagem ao Canadá, tive a oportunidade de comer essa pizza (cuja massa grossa mais parece um pão, semelhante à Pizza Hut) mais de uma vez, incluindo esta da Fresh Slice, com Meu Amado.

Após a pizza, fomos passear por New Westminster.

Perto da estação, vimos uma Pawn Shop (loja de penhores) e logo lembramos do programa Trato Feito (Pawn Stars), que passa no History Channel e que nós gostamos de assistir. A diferença é que essa loja é mais um amontoado de cacarecos velhos, diferente da chiquetérrima loja do programa de TV!

Demos uma vasculhada na loja (tendo inclusive encontrado coisas interessantes) e seguimos nosso passeio acompanhados de um delicioso copo de chocolate quente do Tim Hortons. Atravessamos a Columbia Street e passamos pela ponte que leva ao Fraser River Discovery Centre e ao River Market.

Entramos no River Market para darmos uma xeretada nas coisas por lá e depois saímos para apreciar a belíssima vista do Fraser River, além de tirarmos umas fotinhos, claro.

Piadinhas à parte, fiz questão de fotografar o Bom Marido junto com o maior soldadinho de brinquedo do mundo!

Fofo, não?

Olha que belezinha eu “pilotando o barco” em uma cabine feita para entreter crianças. Missão cumprida.

Seguimos tomando nosso chocolate quente (que já havia esfriado) em uma estupenda paisagem aprimorada pelo sol de inverno ao entardecer.

Lindo, poético e romântico.

Já em casa, assistimos um pouco à TV e jantamos essa maravilha de Peixe desfiado ao molho branco com arroz integral – obra de Mon Amour. Como acompanhamento, salada para mim e hash browns para o chef.

____

Terça-feira, 20 de janeiro de 2015.

Thierry e eu estávamos pensando em comprar algum passeio para o próximo final de semana. Nos encontramos perto da escola, na hora do almoço.

Lembrei que era terça-feira e, segundo fiquei sabendo da outra vez que estive em Vancouver, nas terças alguns restaurantes e fast-foods davam bons descontos em alguns itens.

Fomos até à praça de alimentação do Pacific Centre e aproveitamos a promoção na TacoTime, onde cada taco sairia por 1 dólar e pouquinho, não lembro ao certo. Só sei que compramos três tacos e um refrigerante pavoroso. Neste dia, minha irmã almoçou conosco, aproveitando a promoção dos tacos também!

Nossa missão após o almoço foi a de ir até à agência da West Trek Tours para ver se tinha vaga no passeio para Rocky Mountains. Infelizmente, não. Decidimos então ir até à Discover Canada Tours, agência com a qual eu havia feito o passeio para Rocky Mountains em 2012, mas também não obtivemos sucesso.

Se soubéssemos que esse passeio seria tão disputado, teríamos comprado com uma considerável antecedência. Tanto este quanto o de Seattle, que não conseguimos fazer também. Pelo menos compramos o passeio para Whistler, o que já era alguma coisa!

(Postarei sobre esse incrível passeio em breve!)

____

Quarta-feira, 21 de janeiro de 2015.

Mais um dia de bater perna sem muito sucesso. Como mencionei anteriormente, Thierry e eu compramos o passeio para Whistler e fomos alertados pelo cara da agência que seria bom irmos bem agasalhados para lá. Sendo assim, resolvemos ir em busca de algum casaco mais grosso para ele.

Como eu já havia ido para o Queensborough Landing Outlet Stores duas vezes (uma em 2012, outra em agosto de 2014 com minha irmã), eu sabia como chegar lá e em quais lojas ir.

Infelizmente não encontramos nenhum casaco que estivesse acessível aos nossos bolsos. Acabamos não comprando nada a não ser um chocolate quente no Tim Hortons (que naquela época estava em reforma, portanto fomos atendidos em um caminhãozinho estilo food truck).

Já estava escuro quando voltamos para Vancouver. Pena que, no hemisfério norte escurece muito cedo no inverno, mas ainda assim é lindo e agradável passear por lá.

O meu jantar foi arroz integral, peixe e salada. O do Thierry foi esse hamburgão com queijo!

____

Quinta-feira, 22 de janeiro de 2015.

Por ser a última semana de aula do curso de Jornalismo, fizemos mais um jornalzinho, desta vez não um tabloide com notícias inventadas, mas sim um jornal com matérias feitas com base em nossas próprias pesquisas e entrevistas.

Lembro que, na semana anterior, tivemos que selecionar um tema sobre o qual gostaríamos de escrever, criar perguntas inteligentes, entrevistar algumas pessoas, transcrever a entrevista e, a partir disso, escrever um artigo para o jornalzinho.

Escrevi sobre a convivência com colegas de quarto e se essa experiência influencia ou não no casamento. Entrevistei várias pessoas, incluindo meu próprio noivo, que contou sobre os episódios da época em que ele morou com amigos!

Essa matéria deu caldo, tanto que eu consegui encher três páginas e foi muito divertida de fazer. No mesmo jornalzinho saiu uma matéria engraçada que eu fiz sobre turistas e seus hábitos inconfundíveis!

Um dia eu posto esses textos inteiros ou aqui ou no meu outro blog. 😉

E mais uma vez a adorável professora Barbara Whiting comprou rosquinhas do Tim Hortons para a turma!

Logo após a aula, tive que ir ao departamento de intercâmbio da ILSC Vancouver para buscar meu certificado de conclusão do Programa de Estudo e Trabalho (WEP – Work Experience Program). Bateu aquela melancolia ao notar que minha jornada em Vancouver estava chegando ao fim.

Muitos dias de estudo, muitos cursos legais, muito aprendizado e a oportunidade de ter trabalhado em uma empresa magnífica lá me fizeram pensar na possibilidade de prolongar o programa, mas logo pensei nas mil coisas que eu tinha para resolver primeiro no Brasil, então achei melhor guardar essa ideia para uma próxima viagem.

Saí feliz de lá com meu diploma em mãos e fui ao encontro do Meu Amado para fazermos mais um passeio em North Vancouver.

Não canso de dizer o quanto a gente gostou de passear de Seabus!

Já em North Vancouver, passamos no meu querido Lonsdale Quay Market, onde almoçamos um grelhado com uma saladinha e depois fomos para a plataforma esperar o ônibus. Reparem na fruta estranha que encontramos por lá: Dragon Fruit… Será que é boa? Não tivemos coragem de pagar para ver!

Nossa intenção era irmos para as Grouse Mountains ver a galera esquiando e ver o que mais poderíamos fazer de interessante ali.

Chegando lá, vimos os preços e as possíveis atividades, mas como o clima estava meio feio, pensamos melhor e decidimos não gastar dinheiro com esse passeio naquele dia.

Pegamos outro ônibus e descemos no Capilano River Regional Park para fazermos alguma trilha bacana e tirarmos mais fotos.

Havia uma equipe de filmagens gravando alguma coisa por lá. Pena que não descobrimos o que era, mas só sei que muitas gravações de filmes, comerciais, seriados e afins são feitas neste lugar, que é muito lindo, por sinal.

Tempo nublado. Tiramos fotos estonteantes das montanhas!

Aproveitamos para explorar um outro pedaço do Capilano River Regional Park (por um caminho que não havíamos feito da outra vez em que estivemos ali) e descobrimos um local para apreciar o Cleveland Dam de um outro ponto de vista.

Após esse belo passeio com direto a fotos de árvores gigantescas e tudo mais, voltamos para Downtown Vancouver. Ao invés de pegarmos um ônibus da Waterfront Station até o nosso apê, eu sempre insistia para irmos a pé, afinal era tão gostoso caminhar pelas ruas de Vancouver, mesmo quando estava frio e escuro. E o paciente Bom Marido sempre atendia aos meus pedidos.

Ele era tão paciente que aguentava até minha preferência por esta ou aquela rua. E uma das que eu mais gostava era a Alberni Street, onde está localizada a Urban Fare, um dos meus lugares prediletos para conhecer produtos novos e de qualidade.

Uma coisa bacana que eu comi lá pela primeira vez na vida foi o sushi feito com arroz preto. Nunca havia degustado um sushi tão perfeito em toda a minha vida. E foi esse mesmo sushi que eu fiz questão que o Bom Marido experimentasse.

Esse foi praticamente nosso almoço, então, mais tarde, já no apê, o Meu Amado ainda fez um omeletezinho supimpa para o jantar.

____

Sexta-feira, 23 de janeiro de 2015.

Último dia de aula do curso de Jornalismo na ILSC. Sempre na última sexta-feira de cada curso, alunos e professores fazem alguma atividade diferente, dentro ou fora da escola. Nesses dias, tem gente que nem se dá ao trabalho de ir para a aula. E como as turmas são pequenas, só umas 3 ou 4 pessoas comparecem no último dia.

Naquela sexta-feira, a professora Barbara Whiting nos levou pra batermos um papo e comermos um delicioso cheesecake na cafeteria Trees Organic. Foi um cheesecake para quatro pessoas.

Eu nunca havia experimentado isso antes e o que nós escolhemos, chamado “The Sin”, estava muito bom. Era de chocolate com cereja! Hmmm!

Após a aula, encontrei meu Meu Amado na Granville Street e resolvemos entrar na Hudson Bay, uma famosa loja de departamentos do Canadá que tem de tudo um pouco, para darmos uma olhadinha nas novidades.

Tínhamos nos programado para visitar nossos amigos Dimitri, Fabiana e as crianças em Burnaby, mas como não seria delicado chegar na casa dos outros com fome, resolvemos passar no Foodwares Market para comermos alguma coisinha.

Fiz o Thierry experimentar a deliciosa sopa de lá e contei para ele que, meses atrás, quando estive ali com minha irmã, eu só pensava no quanto eu queria que ele também estivesse ali comigo, tomando aquela sopinha.

Eu quis tanto, que deu certo! 😉

Seguimos para Burnaby. Visitamos nossos amigos e o Thierry até levou o portifa dele para o Dimitri dar uma olhada, na esperança de que alguma ideia, algum milagre ou alguma indicação fosse surgir. Quem sabe em um futuro bem próximo isso não aconteça, não é? Ainda mais agora que Meu Amado deu uma turbinadinha no currículo e está muito mais preparado para enfrentar o mercado como artista 3D.

Quando saímos da casa dos nossos amigos, estava garoando forte e já havia escurecido bastante. E além disso, o Bom Marido estava com fome novamente. Caminhamos até à Austin Avenue e avistamos um restaurante Denny’s com cara de ser bem aconchegante.

Pelo fato de ser uma rede americana de lanchonetes que servem hambúrgueres, não imaginávamos que o preço seria tão absurdo. Mas já que estávamos ali, resolvemos experimentar.

Já não curti muito o atendimento, aliás, não sou fã do estilo americano de servir e tratar os clientes, sempre apressando-os a escolherem logo o que vão comer. Eu não estava com pressa nenhuma, mas a garçonete aparecia de minuto em minuto perguntando se já havíamos decidido.

Pelo menos a comida era muito boa. Thierry pediu um suculento Bourbon Bacon Burger e eu pedi um prato chamado Fit Slam (ovos mexidos com espinafre, tomate-cereja, pãozinho e salada de frutas. Ah, veio bacon no meu, mas eu os dei para o Bom Marido).

Thierry quis experimentar uma sobremesa: Cheesecake. Engraçado que essa sexta-feira começou com cheesecake na aula de Jornalismo e terminou com cheesecake no jantar!

Na verdade, a sexta-feira terminou com um agradável passeio a pé pela Granville Street, rumo ao nosso apartamento.

😉

Bom, e assim foi essa semana de aventuras do Bom Marido no Canadá.

Continuem acompanhando, pois o próximo episódio será sobre nosso romântico final de semana em Victoria, BC, em comemoração ao aniversário do Meu Amado! ❤

Não percam!

Valeu!

😉

Anúncios

XXVIII. Histórias Engraçadas

Represa de Guarapiranga - 2010

Todo casal sempre tem alguma história, algum momento ou algum acontecimento engraçado para contar.

Meu Amado é um cara extremamente tímido. Jamais contaria qualquer coisa engraçada que aconteceu entre nós. Mas como estou longe de ser uma pessoa tímida, eu conto tudo, tudo mesmoooo! (Mentira. Quase tudo!)

E agora, neste exato momento, irei contar alguns “causos” que, pelo menos para nós, foi motivo de várias risadas!

Divirtam-se e deixem comentários com suas histórias divertidas também!

=)

Banho Estranho

Thierry e eu em Bertioga ^^Quando o Thierry ainda morava no apartamento da Vila Mariana, a porta do banheiro estava quebrada, impossível de ser trancada.

Certo dia ele estava lá tomando um belo banho e eu inventei de entrar no banheiro sorrateiramente, na intenção de pregar-lhe um susto ou coisa do gênero. Tentei abrir lentamente a porta sem que a mesma fizesse o bendito ruído podre da dobradiça caindo aos pedaços e… entrei.

Para minha surpresa lá estava o Meu Amado peladão, todo ensaboado, se enxaguando e fazendo outras duas coisas ao mesmo tempo: fumando um Lucky Strike e tomando chá!!!

Eu chorei de rir ao ver a cena… Um cara loiro, alto, branquelo, magro… tomando um banho sossegado, fumando e tomando um chazinho tranquilamente! hahaha Pode uma coisa dessas?

É por isso que, quando eu ía lavar a louça, eu não encontrava os copos e as xícaras… Afinal estava tudo lá no banheiro!

🙂

Nome Estranho

É inegável que o nome do Meu Amado não é todo mundo que consegue entender e pronunciar. Lembro que, antes de viajarmos para a Bahia com a finalidade de visitar minha família, o melhor amigo do Thierry já tirou um baita sarro, dizendo que ninguém lá saberia falar o nome dele corretamente. Errou feio! Todos os meus parentes lá falaram direitinho, até mesmo com sotaque francês, Oui!

Em compensação os porteiros do meu prédio… Cada dia eles inventam, não sei de onde, uma pronúncia nova e bizarra.

Gato FolgatoO interfone toca:

– “Alô, dona Elaine? O Térri chegou…”

– “Ô, dona Elaine? O Chilli tá aqui embaixo, pode subir?”

– “Alô, dona Elaine? O Thirrí tá aqui na portaria…”

Não adianta ensinar! Eles sempre falam errado… Até no consultório médico, na sala de espera, eis que a enfermeira chama:

– “Senhor Thiérry…”

Tadinho de Mon Amour! Até já se acostumou! Ainda que seja engraçado ver as pessoas se embananando para falar o nome dele, é chato pra caramba esse tipo de situação, não é mesmo? rsrsrs

😉

Beijinho do Gato

Nosso gato, o Lucky, é muito fofo, carinhoso e dependente. Não pode ficar uma horinha sozinho em casa que já fica todo desesperado de saudades.

Quando a gente chega, a primeira coisa que ele faz é dar uma bela lambida na nossa face…

Em mim, o Lucky lambe meu enorme olho. Nunca vi isso! Ele lambe tanto que até dói!

Já no Thierry, o miau ataca logo sabe o quê? O grande, enorme e protuberante NARIZ! Isso mesmo, o gato adora lamber o narigão do Meu Amado! É muito engraçado de se ver! E muito fofo também!

E no meu pai? O Lucky sobe na cabeceira do sofá e dá várias lambidas na carequinha dele! hahaha! Esse gato é uma figura! rs

Gato Folgato outra vez!

^^

A Pizza que Até Hoje Não Chegou…

Assim que meu Príncipe Encantado se mudou da Vila Mariana para a Saúde, a gente demorou para conhecer os estabelecimentos bons ao redor, principalmente os que fazem Delivery

Já havíamos pedido comida chinesa algumas vezes e, certo dia, tentamos pedir uma pizza.

Cri cri cri…

As horas foram passando e nada da pizza chegar. O Thierry até ligou reclamando e a atendente falou que a redonda já estava a caminho.

A caminho pro Alaska, só se for, né? Porque até hoje a tal pizza não chegou…

Foi daí em diante que, sempre que surge uma fome relâmpago, a gente pede uns quitutes do Ragazzo, que chegam sempre rapidinho, são deliciosos e são de qualidade garantida e comprovada!

(Ainda bem que tem um Ragazzo bem pertinho de nós!)

Almoçando em Três Corações - Rei da Traíra

=P

Bom, essas foram algumas historinhas lights que eu lembrei hoje.

Assim que eu lembrar de outras eu compartilho por aqui.

E, como eu disse anteriormente, quem tiver histórias conjugais engraçadas, conte aí nos comentários.

(Logo ao final da postagem aparecem várias palavras relacionadas à postagem e em seguida vem “Deixe um Comentário”, ou ” X Comentários”. Ou então, logo ao final da página, caso você tenha entrado diretamente pelo link da postagem, aparece a mensagem “Gostou? Deixe um comentário, por favor!” e em seguida aparece um quadro em branco. Clique e comente, uai!)

Muito obrigada e até a próxima!

=]