Thierry and Elaine at Whytecliff Park - february, 2015

CII. O Bom Marido no Canadá – Últimos dias de viagem; Lions Gate Bridge; Whytecliff Park; Cinema; Aeroporto; Brasil

Chegamos ao final de uma jornada de incríveis passeios no Canadá.

Neste post, falarei sobre os últimos dias da nossa viagem.

____

02 de fevereiro de 2015.

Após nossa visita à Whistler no dia anterior, aproveitamos a segunda-feira para fazermos umas comprinhas e curtirmos o clima chuvoso, planejando os últimos passeios da semana.

____

03 de fevereiro de 2015.

Aproveitando que nosso apê ficava ao lado do Stanley Park, resolvemos fazer mais um passeio por ele, a caminho da Lions Gate Bridge. Nossa meta era atravessar a pé os quase 2 quilômetros da ponte e ver o que tinha de bom lá do outro lado.

Lions Gate Bridge - by Thierry Durieux - feb, 2015

Foi uma boa caminhada até chegarmos a um shopping, o Park Royal South, onde nos deparamos com um supermercado oriental – Osaka Supermarket – que tinha de tudo um pouco, inclusive uns frutos do mar gigantescos expostos em um “aquário” no setor da peixaria.

Osama Supermarket

Nos esbaldamos de observar as coisas estranhas que são vendidas lá e acabamos nos deliciando com uma porção de sushis e outra de guiozas e mais um delicioso e delicado bolo de nozes, afinal não havíamos almoçado antes de sairmos de casa!

Passeamos mais um pouco pelo shopping e voltamos andando para o apê, quando já estava escurecendo.

____

04 de fevereiro de 2015.

Saímos cedo do nosso apê e caminhamos até à Georgia Street, onde pegamos o ônibus #257 até à Horseshoe Bay, em West Vancouver.

Chegando lá, tomamos um chocolate quente, pois estava fazendo muito frio e demos um passeio pelas redondezas antes de encararmos a longa caminhada rumo ao Whytecliff Park. Nos perdemos um pouco para chegarmos lá, mas conseguimos!

No parque, caminhamos cuidadosamente sobre um caminho de pedras e chegamos à Whyte Island. Fizemos algumas fotos lá na ilha e logo voltamos. Até aproveitamos para pegar algumas lindas pedrinhas à beira da água.

Whytecliff Park - by Thierry and Elaine - feb, 2015

De repente, vários patos que estavam tranquilinhos na água, levantaram voo ao mesmo tempo, como se fosse uma coreografia. No mesmo instante, a maré começou a aumentar e o caminho de pedras sumiu embaixo d’água! Se demorássemos uns minutinhos a mais para voltarmos, ficaríamos ilhados!

Continuamos a caminhar pelo parque até encontrarmos um lugarzinho tranquilo para fazermos nosso piquenique de pão integral com peito de peru e queijo, cookies e água. Foi muito tranquilo e romântico, mesmo com a forte garoa que fazia de tempos em tempos.

Na hora de voltarmos para a Horseshoe Bay afim de pegarmos nosso ônibus, acabamos nos perdendo por umas trilhas que não levavam a lugar algum, mas eis que finalmente encontramos a saída, pegamos o busão e chegamos sãos e salvos no apê.

____

Dia 05 de fevereiro de 2015.

Este foi o nosso último dia de passeio. Demos uma voltinha pelo centro para ver se nos animávamos a comprar mais alguns presentes e terminamos o dia indo ao cinema. Sim! Cinema!

Em meu outro blog, mencionei os prêmios que ganhei no evento em que trabalhei, o Fright Nights 2014, no PNE. Na postagem, eu explico que ganhei os prêmios pela minha atuação no evento, o que me deixou muito feliz. E os prêmios eram: pedaços de tijolos usados nas cenas dos artistas da dupla The Monsters of Schlock e ingressos para o cinema.

2014_11_01_frightnights_twoprizes

Os tijolos eu deixei no apê, afinal eu não teria como trazê-los para o Brasil na mala – muito pesados… Já os ingressos, eu guardei por meses até ter a oportunidade de usá-los. Sorte que deu tempo, pois usei praticamente no último dia de viagem. E com Meu Amado!

Assistimos ao filme The Immitation Game (O Jogo da Imitação) e depois passamos no Tim Hortons para nosso último chocolate quente com donuts.

Tudo o que comprávamos para comer nós dividíamos (exceto algum lanche que o Bom Marido preferia de carne e eu, frango), assim gastávamos menos e comíamos o suficiente.

Fizemos nossa última caminhada rumo ao apê e terminamos a noite fechando nossas enormes malas.

____

06 de fevereiro de 2015. Dia do embarque do Bom Marido.

Quando minha irmã e eu compramos as passagens de ida e volta no começo de 2014, compramos para o mesmo dia e para o mesmo voo, claro. Thierry não conseguiu comprar a passagem de volta para os mesmos dia, horário e voo que o nosso, então ele comprou para um dia antes, seguindo a mesma escala que fez na ida: São Paulo – Toronto – Vancouver.

De mala e cuia no busão!

O voo dele para Toronto estava marcado para às 14h. Fui de mala e cuia com ele até o aeroporto, enquanto minha irmã ficou no apartamento ainda resolvendo as coisas dela.

Uma hora depois que o Meu Amado embarcou, minha irmã chegou e ficamos lá no aeroporto enchendo linguiça até o dia seguinte, pois nosso voo sairia cedinho e não poderíamos embaçar.

A hora parece que não passa no aeroporto, então a melhor coisa a se fazer é comer, comprar e encontrar um cantinho para dormir!

Fizemos lanches com algumas coisas que haviam sobrado no apê como: pão, frios, ovos, salgadinhos e afins. Mas ainda assim não resistimos à tentação de tomarmos uns chás e chocolates quentes no Tim Hortons, onde ainda compramos duas canequinhas bem bacanas!

Maple Leaf Sisters!

Passeamos por algumas lojinhas para ver o que tinha de interessante e ficamos zanzando de um terminal ao outro, até cansarmos. Pensamos que as lojas e os restaurantes no aeroporto ficassem abertos 24 horas, sempre à disposição de quem ali estivesse, mas tudo começou a fechar e a gente acabou sobrando com a única opção disponível: dormir.

Eu até consegui dormir bastante, pois confesso que fiquei bem xoxinha depois que o Thierry embarcou.

____

07 de fevereiro de 2015.

Horas e horas de voos, conexões e trocas de aviões. Minha irmã e eu voamos de Vancouver para Minneapolis, de Minneapolis para Atlanta, e finalmente, de Atlanta para São Paulo. A essa hora o Bom Marido já deveria estar tranquilo na casa dele!

____

08 de fevereiro de 2015.

Ufa! Chegamos!

Após uma longa e cansativa viagem, ainda inventei de passar no Duty Free Shop, onde encontrei minha comadre que trabalha lá, fiz umas comprinhas e ganhei vários brindes!

Papai já estava ansioso esperando as duas filhotas. Assim que chegamos em casa, matamos as saudades dos nossos pais, desfizemos as malas, descansamos e… pensam que eu fiquei em Guarulhos, na casa dos meus pais? Não! O Bom Marido foi até lá me buscar para que eu viesse para a casa dele.

Ótimo, pois aproveitei para matar as saudades do Lucky também!

Home, sweet home...

____

E assim encerro esta deliciosa aventura que, para mim começou oficialmente em 04 de agosto de 2014, com a oportunidade de estudar e trabalhar em Vancouver, bem como revisitar e conhecer lindos lugares por lá!

Agora é rezar muito para conseguir repetir a dose, de preferência com planos de morar no Canadá por muitos e muitos anos com Meu Amado Bom Marido! ❤

Torça por nós, por favor!!!

____

Obrigada por acompanhar As Aventuras do Bom Marido no Canadá!

Veja mais em: As Aventuras do Bom Marido no Canadá – 2014-2015

____

😉

Anúncios

XCV. O Bom Marido no Canadá – Capilano River Regional Park; Passeio em família; Piquenique gelado; Lonsdale Quay Market; Fudge; Tim Hortons; DQ; Stanley Park…

18 de janeiro de 2015.

Sábado foi dia de fazer um passeio em “família”!

Sim, família entre aspas, pois além de nós dois (Thierry e eu) só havia a minha irmã ali como parente. E como eu queria muito que ela conhecesse um pouco de North Vancouver, resolvemos convidá-la para dar uma voltinha por aquelas bandas de lá.

Na hora de contar as moedinhas para o ônibus, encontramos uma moeda de 25 cents de uma edição comemorativa de 2006, a respeito de uma campanha de conscientização sobre o câncer de mama. Esse tipo de moeda dá até dó passar adiante! Coisa de colecionador!

Fomos para a estação Waterfront, onde pegamos o Seabus para North Vancouver.

Lá pegamos um ônibus sentido Grouse Mountain e descemos próximo ao Capilano River Regional Park. Ao chegarmos lá, nos perdemos para achar a entrada do parque!

E toca olhar nos mapas da vida, afinal não havia uma pessoa sequer ali perto para nos dar alguma informação. O jeito foi caminhar até achar uma entradinha qualquer.

Uma vez feito isso, resolvemos explorar a área, seguindo algumas trilhas que nos levaram a belíssimas paisagens que foram devidamente registradas por nós.

Estava um frio de lascar. Sorte que estávamos bem agasalhados, mas quando paramos para fazer nosso piquenique, parecia que estávamos no meio do famoso filme Frozen. Let it go, let it go… (Só para constar, o Bom Marido detestou esse filme por causa das musiquinhas e blá blá blá!)

Avistamos uma turma que estava fazendo piquenique ali perto e percebemos que eles já deveriam estar acostumados a esse tipo de passeio em temperaturas baixíssimas, pois haviam levado garrafas térmicas com bebidas quentinhas para aquecerem o corpo… (Nota mental para futuros piqueniques de inverno: garrafa térmica com café ou chocolate quente será um item fundamental!!!)

Após o lanche, fomos dar uma olhadinha na Capilano River Hatchery, onde tem uma incubadora e diversos quadros com explicações a respeito do ciclo dos peixes. Até encontramos um amiguinho de penas que estava ali de olho nos peixes também!

O Capilano River Regional Park é um belo local que atrai canoístas, ciclistas, turistas e até mesmo cineastas, pois muitas produções cinematográficas são feitas neste belíssimo lugar. São várias trilhas a serem percorridas. E eu que pensei que o Thierry fosse detestar essas andanças todas, ele estava era adorando aquilo tudo!!! Se a mamãe dele soubesse o quanto fez bem para ele essas trilhas nos parques canadenses, certamente ela não o teria deixado voltar de lá!

Passamos pelo Cleveland Dam e nos aventuramos a tirar fotos de cima da barragem (sem medo de deixar as câmeras caírem) e fotografamos também a Grouse Mountain, que estava em nossos planos de passeio para dali a alguns dias.

Conforme foi escurecendo, pegamos o ônibus de volta para Lonsdale Quay e eu fiz questão de mostrar o Lonsdale Market para minha irmã, que durante esse tempo todo nunca tinha ido lá!

Até subimos na torre do grande “Q” que enfeita o lado de fora do mercado!

Entramos no Lonsdale Quay Market para minha irmã conhecer e aproveitamos para comprar uns doces na Olde World Confections Fudge – Belgian Chocolates.

Fudge! Uma delícia de doce. Só não é possível devorar um pedaço inteiro sozinho, pois acaba ficando enjoativo. Mas compramos 3 fatias para experimentarmos com calma e guardarmos o restante para os outros dias. Compramos um tradicional, um de chocolate com menta e outro de nozes. Nham!

Tomamos o Seabus de volta para Vancouver e resolvemos seguir a pé até nosso apartamento, parando antes no Tim Hortons para nos deliciarmos com um merecido e acolhedor chocolate quente! Ah, que maravilha!

Mais tarde, já em nosso apê, o Bom Marido preparou nosso jantar: Peixe desfiado ao creme e Hash browns. O meu ainda contou com uma saladinha e uma fatiazinha de queijo para incrementar!

Perfeito!

____

Já no domingo, dia 18 de janeiro de 2015, não saímos para longe. O dia estava meio chuvoso e o Thierry estava doido para provar o hambúrguer de uma rede de restaurantes chamada DQ (Dairy Queen Inc.)

Como sabíamos que havia um DQ perto do nosso apê, resolvemos almoçar lá e depois esticar para o Stanley Park para caminharmos um pouco.

Resolvemos explorar uma trilhazinha que ainda não havíamos percorrido e até tiramos foto de umas árvores caídas, em especial uma que caiu no meio da trilha, mas que ao invés de ter sido totalmente retirada, foi apenas recortada para liberar a passagem!

Esses passeios me faziam querer ficar cada vez mais em Vancouver, pois mesmo no frio, mesmo com o tempo feio, sempre tinha algo bonito para se ver.

Ai ai… Que saudades de lá! Espero um dia poder voltar para essa linda cidade canadense. E o Bom Marido, com certeza, também espera!

____

E assim concluímos mais um final de semana da nossa incrível viagem.

Obrigada pela visita e até o próximo episódio das Aventuras do Bom Marido no Canadá.

😉