LXXII. Cuidando direitinho

Thierry e Elaine fazendo graçaDevo confessar que tenho andado bem chata, irritada e impaciente esses dias. Qualquer coisinha fora do lugar já me deixava uma pilha de nervos. Muitos problemas, muitas coisas para resolver, a saúde bem abalada…

Minha irritação, internamente, era também uma reação à indiferença das pessoas ao redor. Era como se, no fundo, eu achasse que todo mundo devesse estar a par dos meus problemas e se comover com isso.

Mas não é bem assim. Uma coisa que aprendi bastante com relacionamentos anteriores e, principalmente, com o atual foi que cada um deve estar sempre prestando atenção, não somente ao outro, mas também em si mesmo. Se autoavaliar, se colocar no lugar do próximo, refletir e perceber até que ponto nossas ações e reações estão chateando as pessoas que amamos.

Sorte que tenho o mais paciente dos noivos, mas acredito que, até ele tem saído dos eixos por causa dessa péssima fase pela qual estou passando.

E não se trata de TPM! Desta vez o que me tirou do sério foi ter extraído um siso pra lá de complicado e ter pego um baita resfriado, tudo ao mesmo tempo… E com isso, muitas coisas que eu havia planejado fazer esses dias tiveram que ser descartadas, pois minha recuperação pós cirúrgica foi pior do que eu havia imaginado.

Me lasquei bonito, pois não tive como ir a um super evento literário onde eu poderia ter vendido uma quantidade bacana de livros; paguei antecipadamente por um workshop de TV e Cinema master caro (esse eu tive que ir, pois o acesso era mais fácil), mas não aproveitei 100% do mesmo, tanto pelas dores quanto pela dificuldade de falar e atuar nas cenas propostas… Pelo menos o diretor do workshop e uma das alunas compraram meus livros!

E o pior de tudo: perdi vários trabalhos por causa disso. Tudo bem que uns foram cancelados, outros foram adiados, mas eu acabei impossibilitada de correr atrás de outros, às pressas, para substituir essas perdas.

(Vida de freelancer é assim: corre atrás aqui, corre atrás ali… Se mata, se desdobra, não vive, não come, não dorme e não pode nem pensar em ficar doente…)

E todo esse estresse gerado pelos meus problemas acabou afetando onde não deveria: meu relacionamento.

Tudo bem que, não são apenas nas horas boas que as pessoas devem ficar próximas. Mas eu não gosto de chatear Meu Amado com meus problemas, pois ele acaba absorvendo demais e se entristecendo muito também. Isso sem falar que eu fico nervosa com tudo dando errado e acabo descontando em quem está perto.

Mas como eu já citei várias vezes, tenho sorte de ter um cara tão bacana, carinhoso e compreensivo ao meu lado.

Preocupado com minha saúde e as minhas atuais necessidades, especialmente por causa da alimentação, ele faz tudo pensando em mim: purê de batata com espinafre, frango cremoso desfiado, miojinho, sopinha, etc…

Fora isso ele fica de olho para ver se tomei os remédios e está sempre me trazendo um cházinho, um café, um copo com água! Um verdadeiro cavalheiro e de quebra um ótimo enfermeiro também! hehe

Só mesmo o amor para suportar um rosto inchado, olheiras, tosse carregada, nariz escorrendo, várias assoadas de nariz bem sonoras e nojentas, fora os trajes de mendiga que sempre uso quando estou doente: moletom, blusas de lã, roupão, touca e pantufinhas macias. Cada coisa de uma cor mais bizarra e sem graça que a outra! Um luxo! rs

Mas é isso aí… O amor suporta tudo, mas não é por isso que iremos sobrecarregá-lo com problemas e pendências que precisam ser resolvidas. É só prestar atenção para não transformar o coração em um cesto de roupa suja que só vai aumentando, aumentando até explodir e alguém finalmente resolver lavar.

E hoje é meu aniversário. Ainda estou toda dolorida por causa do siso e ainda estou tentando me recuperar de um resfriado porreta, mas estou feliz e agradecida pelo grande presente que é ter um Príncipe Encantado cuidando de mim com tanto carinho!

Espero que muitos outros namorados, noivos, maridos e afins façam o mesmo por suas amadas!

#ficaadica

LII. Na Saúde e na Doença…

“… na saúde e na doença, até que a morte os separe.”

Semana passada, em comemoração ao Dia dos Namorados, eu havia postado a seguinte frase no Twitter:

2010-08-09-fachada_padre_bentoE é verdade. Tanto é que no dia seguinte, 13 de Junho, tive que ir ao hospital tomar uma medicação intravenosa, devido ao fato de eu estar sofrendo de “anemia galopante”, rs!

Brincadeiras à parte, além de esperar um bom século para ser atendida no hospital, ainda tive que ficar mais de uma hora esperando a medicação ser ministrada, gota por gota, em minha veia…

E como eu sou muito sortuda, mimada e privilegiada, estava devidamente acompanhada pelo meu Pai Coruja e meu Bom Marido que, mesmo tendo um turbilhão de coisas para fazer, aguentou firme comigo lá no hospital.

Na semana anterior também tive que tomar esse medicamento, porém foi mais rápido. Não sei porque cargas d’água demorou tanto dessa vez. Eu até tentei acelerar o processo, abrindo mais o dispositivo do medicamento, mas eu sentia uma ardência na veia, então eu voltava o negócinho para a posição anterior…

Sorte que o hospital é pertinho de casa, assim, após essa longa espera, meu Amado aproveitou para jantar a simples e maravilhosamente perfeita comidinha da minha mãe!

Até que ele se deu bem, afinal!

Mas é inegável que a atitude dele de ficar quase 3 horas me esperando é digna de aplausos.

Homens! Aprendam com o Bom Marido!!!

____

HOSPITAL PADRE BENTO - 28-06-1988250ml em 1h15 + 1h de espera para o médico autorizar o procedimento + hospital caindo aos pedaços + atendimento grosseiro e precário…

Com tanto dinheiro sendo investido em uma porcaria de evento futebolístico, acho que nosso ilustre país deveria pensar em investir um pouquinho dessa grana toda em Saúde, não?

Depois a presidANTA faz cara feia ao ser vaiada. Cara feia, pra mim é fome. Falando nisso, seria bom também investir em alimentação, cultura e educação também. Mas fazer o quê? Enquanto isso lá vou eu semana que vem tomar mais uma dose de chá de cadeira no estranho Hospital Padre Bento de Guarulhos

____

E você? Também está sempre ao lado do seu Bom Marido ou da sua Boa Esposa “na alegria e na tristeza, na saúde e na doença”?

Comente logo abaixo!

😉