C. O Bom Marido no Canadá – Grouse Mountain; Ice Skating; Robson Square; Deep Cove; e Quarry Rock Hike

Das postagens numeradas, esta é a centésima (por isso o C. antes do título). Porém outras 55 foram feitas sem o propósito da numeração. Então esta é a 156ª postagem deste blog tão bonito que tenho desde Dezembro de 2011!!!

Uhuuu!

Deve ser por isso que não estou conseguindo postar mais fotos, afinal em mais de 150 postagens eu abarrotei meu WordPress de imagens, crente que o limite jamais extrapolaria!

Que pena! Justo agora que eu iria começar postando sobre o passeio que fiz com o Bom Marido para a Grouse Moutain, com direito a fotinhos da nossa desajeitada patinação no gelo e tudo mais…

Mesmo assim, segue o relato de mais alguns momentos de viagem. As fotos podem ser vistas, na íntegra e sem frescura neste álbum que deixei aberto em meu Facebook.

____

Dia 29 de janeiro de 2015.

Dia de conhecer a Grouse Mountain!

Após minha aula, encontrei Meu Amado no Centro e pegamos o Seabus até North Vancouver. Na Lonsdale Quay Bay pegamos o ônibus 236 sentido Grouse Mountain e descemos bem em frente ao local. Compramos nossos bilhetes, pegamos a gôndola e chegamos ao maravilhoso lugar onde muitas pessoas vão para esquiar, patinar no gelo e se divertir.

Como nossa intenção não era esquiar, compramos o tour guiado para ver a gigantesca turbina eólica The Eye of the Wind na qual é possível entrar por ela e subir de elevador a uma altura de 65 metros, onde existe um deck de observação. In-crí-vel!

Para chegar lá, percorremos uma trilha a pé sobre a neve e tivemos que usar um acessório nas solas das botas para evitar que escorregássemos no gelo.

Tiramos lindas fotos, passeamos de teleférico e vimos o pôr do sol em uma das paisagens mais estonteantes que existem.

Após o tour, alugamos uns patins e nos arriscamos a patinar no gelo. Puxa! Eu achava que seria difícil, mas achei igual à patinação normal com patins in line. Nunca me diverti tanto em minha vida! Thierry e eu patinamos até cansar.

Deu tempo até de assistirmos a um vídeozinho no The Theatre in the Sky a respeito da vida selvagem na Grouse Mountain. Depois disso, tomamos um lanchinho e pegamos o caminho de volta para Vancouver.

Foi muito bom!

Se um dia tivermos a chance de voltarmos para Vancouver, prometemos que tomaremos coragem para esquiar. Só será preciso alugar o equipamento e mandar brasa, ou melhor, gelo!

____

30 de janeiro de 2015. Sexta-feira.

Neste dia, após meu último dia de aula, voltei direto para o apê para almoçar com o Meu Amado. Cheguei com o diploma em mãos, afinal minha experiência de intercâmbio havia oficialmente acabado. Que pena! Passou tão depressa…

Mais tarde, encontramos a amiga Regina e o esposo dela na Robson Square e inventamos de patinar no gelo outra vez. Sorte que havíamos treinado um pouco na noite anterior, na Grouse Mountain!

Nos divertimos bastante, rimos, conversamos e terminamos a noite tomando um café na Tim Hortons. Foi muito bom! Gosto muito da Regina e fico extremamente feliz por ela estar bem em Vancouver, sendo muito amada e bem tratada!

A caminho do apê, Thierry e eu demos uma xeretada em um brechó bem curioso que fica na Robson Street. Pensamos que seria uma lojinha pequena com coisas toscas, mas era uma loja enorme com uma variedade incrível de roupas e acessórios exóticos de diversas épocas e para todos os gostos!

Claro que não compramos nada, mas foi divertido ver os itens que tem lá!

____

31 de janeiro de 2015.

Neste lindo sábado nublado pudemos aproveitar o dia todo de passeio. O Bom Marido quis conhecer Deep Cove, então lá fomos nós para North Vancouver outra vez!

Pegamos o ônibus 211 e chegamos à tranquila Deep Cove. Demos uma pequena circulada pela cidade e, antes de encararmos alguma trilha, passamos em uma cafeteria para comprarmos um chocolate quente para acompanhar nosso piquenique de sanduíche de pão integral com peito de peru e queijo, cookies e chá verde.

E partimos para nossa caminhada pela Baden Powell Trail rumo à Querry Rock Hike. Até que estava lotado o lugar! Muitas pessoas fazendo trilha por ali. Uma longa trilha, por sinal.

Ao chegarmos à Querry Rock, nos deparamos com uma vista de tirar o fôlego. Não é à toa que esta trilha é uma das mais populares por lá. Não exige muito esforço para percorrê-la e é uma trilha muito bonita e agradável.

Lá no topo, sentamos para apreciar a vista e tirar algumas fotos. Voltamos para a cidade, onde passamos por uma galeria de arte e finalizamos com um chocolate quente e um donuts gigantesco na Honey Doughnuts & Goodies – uma aconchegante cafeteria que fica bem no centro da cidade.

Pegamos nosso ônibus de volta para Vancouver, caminhamos até o apê e jantamos uma porcariazinha em um Burger King ali perto! Foi só porque o Bom Marido estava louco por um hamburgão, pois eu fiquei só nos nuggets mesmo!

E este foi mais um maravilhoso dia de passeios.

Último dia do mês. Só nos restava uma semana de viagem, por isso fizemos questão de aproveitar na medida do possível e dos nossos bolsos!

____

Obrigada pela visita e até o próximo episódio das Aventuras do Bom Marido no Canadá.

😉

LXXXII. O Bom Marido no Canadá – Bagunças e Bagagens!

IMG_2095

O dia 04 de janeiro de 2015, pleno domingão, foi dia de…

Arrumar as malas!

Como minhas aulas começariam na segunda-feira, dia 05, e nossa mudança também estava marcada para o dia 05, resolvemos aproveitar o domingo para organizar tudo.

Para quem não pegou a história desde o começo, eis o resumo: minha irmã Lilika e eu fomos para Vancouver fazer um intercâmbio de 6 meses.

No primeiro mês ficamos em uma homestay. No segundo mês ficamos no apê dos amigos Dimitri e Fabiana (Canadá Diário) com eles. Nos terceiro, quarto e quinto meses, nossos amigos do Canadá Diário viajaram para o Brasil e deixaram o apartamento deles para Lilika e eu alugarmos.

No sexto mês seria inviável ficarmos todos juntos no mesmo apê, afinal eles são em 4 e o Thierry estaria vindo passar um mês comigo, ou seja, 7 pessoas em um apartamento? Seria bem desgastante para todos, ainda mais com nossos amigos voltando de viagem cansados, com crianças e, obviamente, almejando um pouco de paz, sossego e privacidade!

IMG_2098Enfim… Lilika e eu havíamos visitado alguns apartamentos para alugar e escolhemos o de uma brasileira super bacana e muito guerreira que mora há mais de 12 anos fora do Brasil. Vimos o anúncio dela no Craigslist e, uma vez estando perto para visitar o local e conhecer a pessoa, ficou muito mais fácil e confiável.

O apê não era um palácio, mas era bem ajeitadinho e caberia nós três numa boa. Alugamos por um mês, do dia 06 de janeiro ao dia 06 de fevereiro, porém a dona disse que poderíamos nos mudar na segunda-feira, dia 05, à tarde.

No domingo e na segunda demos uma bela limpada no apê dos nossos amigos e arrumamos nossas malas também.

Nessas horas a gente vê o tanto de coisas que acumulamos em 5 meses de viagem…

Segunda-feira, após à aula, terminamos de organizar alguns itens que faltavam e lá fomos nós, de mala e cuia, para o apartamento que alugamos pertinho do centro.IMG_2104Nem lhes conto o tanto que rimos e sofremos com o transporte das bagagens!

Quisemos levar tudo o que dava de uma só vez e o resultado foi: 3 brasileiros atrapalhados queimando as rodinhas das malas no asfalto! Foi hilário!

Tivemos que fazer uma baita volta na estação Lougheed Town Centre, pois uma das entradas estava em reforma e a outra estava sem rampa, então tivemos que ir lá para o outro lado, onde conseguimos embarcar.

Descemos na Granville Station, já no centro, e andamos até à Richard Street para ainda pegarmos um ônibus até o nosso novo lar… Ufa!

IMG_2108Mas ainda não tinha acabado! Algumas coisas tinham ficado para trás lá no apê dos amigos… E toca fazer a segunda viagem, porém menos sofrida que a primeira. Menos sofrida para nós, pois uma das malas ficou tão estressada que a rodinha quase explodiu!!!

Foi uma jornada e tanto, mas chegamos… Sãos e salvos, chegamos.

Depois disso foi só curtir o novo lar que já veio todo limpinho, equipado e abastecido pela própria dona. Sem frescuras, sem preocupações. Lar, doce temporário lar.

IMG_2267Fiquem ligados nos próximos capítulos!

😉

Charlie viajando!

10_aeroportoGRUQuem acompanha minhas postagens e minha jornada sabe que, no exato momento, não estou no Brasil.

O Bom Marido sim, mas a Boa Esposa (esta que vos escreve) resolveu estudar e trabalhar em outro país, aproveitando para levar o Charlie junto.

18_seattleQuem acompanha esse blog e todas as notícias referentes ao livro “Como Ser Um Bom Marido” sabe que Charlie é o sapinho da capa.

Portanto Charlie – o sapo, está agora mesmo curtindo uma incrível e maravilhosa temporada de férias em Vancouver, no Canadá.

Mas por quê Vancouver?

Porque sim, oras.

24_metrotownMinto. É porque eu já estive aqui há uns 2 anos, lembram?

(Cliquem AQUI e refresquem a memória)

E eu falei tão bem daqui que minha irmã Lilika se empolgou e quis vir para cá de qualquer jeito para estudar e trabalhar.

O negócio é que ela me intimou a vir junto e eu, mesmo com o coração apertado por deixar o Bom Marido e nosso bebê Lucky (o gato) no Brasil, resolvi aceitar o chamado.

Até mesmo porque se eu não tivesse vindo agora, talvez não conseguisse vir tão cedo, pois as leis canadenses sofreram alterações e somente quem desembarcasse no Canadá até o comecinho de Agosto deste ano obteria o visto de trabalho sem precisar estar matriculado em alguma faculdade daqui (o que sairia bem caro) ou aplicar para imigrar de vez (o que é bem difícil, burocrático e caro também).

37_charlienoSkytrainClaro que eu queria que o Meu Amado estivesse comigo, mas sei que, no momento, nossas finanças não permitem tal empreitada. Fora isso ele jamais toparia fazer esse tipo de intercâmbio (Work & Study) seja para qual país fosse.

Mas o Bom Marido precisa vir para cá. Como turista, pelo menos.

25_curryexpressCharlie está adorando conhecer lugares, comidas, passeios e pessoas diferentes.

Talvez o Meu Príncipe Encantado não se empolgue tanto em socializar com estrangeiros, mas eu tenho certeza que ele se identificaria muito com essa cidade. Tudo aqui tem a cara dele!

A gente mata as saudades via Skype.

Santo Skype me salvando pela segunda vez. Lembram da primeira?

Mas agora não são apenas 40 dias como da outra vez. São 6 meses!!!

É por isso que o Bom Marido precisa mesmo vir para Vancouver, nem que seja para ficar 15 dias comigo, conhecendo a cidade e reforçando a ideia de morar fora do Brasil.

02_CharlieDowntownUrsoMas tudo depende de dindim… E eu ainda não consegui um bom emprego aqui.

Estou contando com isso e com os cachês que ainda recebo no Brasil para me manter e tentar trazer Meu Amado para cá.

Mas está difícil.

Charlie está me ajudando bastante, afinal ele anda atraindo muitos olhares por aqui!

Além dos amigos do Canadá Diário, Dimitri e Fabiana, que apoiaram o projeto do livro no Catarse e receberam as recompensas em mãos, mais dois livros já foram vendidos por aqui. Um foi para minha “irmã cósmica e de coração” Regina, cujo universo faz questão de nos reunir, coincidentemente, de tempos em tempos!

12_Cinema1E outro foi para um (pasmem!) Mexicano que conheci no Latin Summer Fest (um festival latino americano) e que ficou encantado com a capa e com o título do livro.

09_LatinSummerFest1Espero que ele goste do livro e que o conteúdo do mesmo seja de grande utilidade em sua vida, pois esse Mexicano me pareceu ser um cara bacana e merecedor de uma boa pessoa que lhe arrebate o coração.

10_TroutLakeA luta, de agora em diante, vai ser arrumar um bom emprego, focar nos estudos e vender muitos exemplares de Como Ser um Bom Marido para os amigos brazucas que eu fizer por aqui.

Sem generalizar, mas já generalizando, brasileiro é muito preguiçoso para ler. E para comprar livro então, nem se fala!

Mas eu tenho fé que os muitos brazucas que estão aqui representando nosso belo verde e amarelo se interessarão em adquirir, por apenas $15,00 CAN (quinze doletas canadenses), este divertido livro, muitíssimo bem representado pelo sapo mais viajandão do mundo: nosso querido Charlie!

Charlie está se divertindo muito na companhia das Maple Leaf Sisters, mas ele está ansioso em conhecer novas pessoas aqui em Vancouver.

Portanto, se você gosta ou conhece alguém em Vancouver que gosta de ler (em Português) e acha que este livro é uma boa fonte de entretenimento e reflexão, então, por favor, nos ajude a divulgar essa obra!

Certamente o Charlie, as Maple Leaf Sisters e o Bom Marido (que está lá no Brasil se matando de trabalhar para conseguir vir para cá…) agradecerão de coração pela força e pela aquisição do livro!

#ValeuCharlie!

#CharlieEmVancouver

#ComoSerUmBomMarido #Brasil

#HowToBeAGoodHusband #Brazil

#CharlieNaGlobo #ComoSerUmBomMaridoNaGlobo

04_CharlieEsculturasRisonhas

____

Agradeço a todos que torcem pelo sucesso deste livro, em especial aos que já compraram, já leram e já recomendaram para outras pessoas!

Um grande beijo e fiquem com mais algumas fotos das “aventuras” do Charlie:

01_CharlieSeattle

Charlie no Aeroporto de Seattle.

03_CharlieFestivalIndiano

Charlie no Festival Indiano com a família Canadá Diário.

39_lougheedstation

Charlie tomando um lanchinho com as Maple Leaf Sisters na Lougheed Town Centre Station.

03_CharlieIKEA

Charlie passeando na IKEA.

05_CharlieYBC

Charlie tomando “umas” (brinks!) na Yaletown Brewing Company.

06_CharlieSkytrain

Charlie e o ursão na Yaletown Station.

07_CharlieILSC

Charlie em seu primeiro dia de aula na ILSC – “Creative English Course”.

08_CharlieItalianMarket

Charlie provando uns quitutes no Italian Night Market.

11_BlenzCoffee

Charlie tomando um Belgium Hot Chocolate no Blenz Coffee.

14_CharlieLibrary

Charlie visitando a Biblioteca Pública.

15_CharlieTrain

Charlie e as Maple Leaf Sisters visitando o Roundhouse Community Centre, em Yaletown.

13_CharliePelúcia

Vejam que maravilha! Vimos alguns Charlies de pelúcia à venda lá no Vancouver Aquarium!!! Precisamos comprar algumas unidades para sortearmos entre nossos leitores, que tal?

 ____

Obrigada pela visita e aguardem as próximas postagens sobre as aventuras do sapo mais charmoso da nossa Literatura!

____

::: Aproveitem para visitar o blog das Maple Leaf Sisters, o blog da Eliane Lilika e meu outro blog: Elaine Oliveirarte!

::: Curtam também a página do livro Como Ser Um Bom Marido no Facebook!

____

Fiquem à vontade para comentar, curtir e compartilhar este conteúdo, por favor!

Suuuuuuper beijo,

Elaine Thrash

😉

E o Charlie vai também!

MapleLeafSistersMuito bem, pessoal…

Está quase chegando o dia em que minha irmã e eu faremos uma longa viagem de estudos e trabalho em Vancouver, no Canadá.

Mas e o Bom Marido? Você vai deixá-lo aqui sozinho??? Outra vez?

Não. Não vou deixar Meu Amado aqui SOZINHO. Ele tem os pais dele, os meus pais, pouquíssimos amigos e nosso bebê Lucky para lhe fazerem companhia.

Não é o fim do mundo essa viagem. (Já fui para Vancouver em 2012, mas fiquei só 40 dias. Quem não se lembra, clique AQUI)

Acontece que o governo canadense vai começar a vetar a entrada de intercambistas que pretendem estudar e trabalhar no país, então ou eu aproveitava essa última oportunidade, ou ficaria a vida inteira lamentando e tentando imigrar para lá.

Sendo que:

1) Não sou uma profissional qualificada para imigrar para um país feito o Canadá. Sou artista, sou freelancer, não sou casada e não faço parte do grupo de pessoas que trabalham em áreas que seriam facilmente aceitas em outro país. Já disse que sou artista, né?

02_ElaineOliveira_diversos

2) Meu Noivo também é autônomo e a profissão dele não está na atual lista de profissionais aceitos no Canadá. Se bem que essa lista sempre muda. Ele tem mais chances de imigrar do que eu. Ele tem dupla cidadania, passaporte europeu, cara de europeu, fala Francês e Inglês razoavelmente bem, mas não escreve em nenhum desses idiomas… (aí já complica um pouco) Mas ele entende de computadores e outras nerdices que, vira e mexe, estão em alta nesses países bacanudos.

ThierryDurieux_3D

3) Antes de imigrar de vez, tenho que resolver algumas coisas aqui no Brasil, vender tudo o que eu tenho e me mandar de vez.

Entre as coisas para resolver, uma delas seria: como levar o Lucky? Chegar assim do nada de mala e cuia e gato não seria uma boa ideia. E com relação à moradia? Fonte de renda? Alimentação? É preciso resolver tudo isso com calma, aqui mesmo no nosso querido país, além de trabalhar dobrado para juntar uma boa grana e aí sim dar entrada nos papéis.

Thierry, Lucky e ey

Ah, Thierry e eu teríamos que casar antes, né? Para ficar tudo mais bonitinho! Mas nem para isso temos dinheiro…

Então farei esse intercâmbio de 6 meses com minha irmã, pesquisarei muitas coisas, mexerei uns pauzinhos e farei uns contatos por lá, tanto para mim quanto para o Meu Amado.

Ele vai ficar aqui chupando o dedo?

Não. Enquanto ele ajeita a vida dele aqui, dá um tapa no portifa, cuida do Lucky e trabalha mais um pouco para juntar uma graninha, estarei lá ralando e estudando muito para aprimorar meu Inglês e incrementar meu currículo também.

Mon Amour et Moi

E no último mês da minha viagem… TCHARAM!!! Ele irá para lá também!!! Tenho certeza que ele irá se apaixonar por Vancouver!

E por que ele não quis fazer esse mesmo pacote Work & Study igual o seu e da sua irmã?

Simples. Ele não gosta desse negócio de intercâmbio. A timidez dele é extrema e a impaciência com cursos de idioma presenciais também! Ele precisaria fazer uns cursos sim, acredito até que ele iria gostar um pouco, mas ele não está disposto a isso no momento, nem financeiramente falando!

E como você vai pagar, já que é uma artista e praticamente vive sem dinheiro?

Eu não vivo SEM dinheiro. Graças a Deus eu sobrevivo com meus cachês e estou sempre aceitando vários trabalhinhos que aparecem! Assim como qualquer pessoa, eu também tenho gastos (que procuro controlar ao máximo) e a maior parte do que recebo, eu guardo. De preferência na conta do meu Papai, que é sempre meu financiador para tudo.

ElaineOliveira_Lançamento2Desde que lancei meu segundo livro, venho guardando o dinheiro das vendas e utilizando em caso de emergência, como por exemplo a cirurgia que fiz ano passado, exames, remédios, a cirurgia no siso que fiz este ano, mais exames, mais remédios e outros tratamentos…

A saúde agora vem sempre em primeiro lugar.

Outros dindins que foram entrando, fui guardando. Já deu para pagar uma boa parte da viagem (Pacote Work & Study, acomodações, vistos, seguro internacional (obrigatório), passagens e uma graninha para passar o primeiro mês sem perrengue).

Papai, meu amado e precioso Papai está pagando tudo e sendo reembolsado por mim na medida do possível, assim como fizemos da outra vez em que viajei. (Vejam detalhes nesta página do meu outro WordPress)

Se eu conseguisse vender uns 100 livros aqui no Brasil, já estaria tranquila para poder viajar sem me preocupar. Mas estou preocupadérrima, pois a Copa atrapalhou meus freelas e agora, às vésperas de viajar, não posso aceitar alguns trabalhos que começam agora e terminam no segundo semestre. No segundo semestre já estarei lá em Vancouver, então não dá!

Luiz e Zélia - Casal Supimpa!Nessas últimas semanas só poderei contar com os livros mesmo, mas sei que seria impossível vender 100 livros em 13 dias.

Só se acontecesse um milagre em minha vida!!!

Independente disso, os livros estarão em poder dos Meus Pais e do Meu Amado Noivo aqui no Brasil. Os interessados deverão tratar comigo via e-mail, Twitter, Face, ou aqui mesmo via WordPress e minha família enviará daqui os exemplares pelos Correios para os leitores. É o jeito!

E um fio de esperança será o pacote de livros que levarei na viagem também. Cerca de 40 exemplares. Se eu tiver sorte de vender esses 40 lá nos próximos 6 meses, já será uma mão na roda! Mas ainda assim eu preferiria vender todo o meu estoque aqui mesmo antes de viajar.

– Ai, milagre! Cadê você em minha vida???

Enfim… Baboseias e desabafos à parte, espero que tenham entendido o título da postagem, afinal Charlie é o sapinho da capa do livro. E quando eu digo que ele vai também, é porque ele vai conhecer Vancouver comigo e com minha irmã!

CSUBM_Capafinal_2013aAtenção, Brasileiros em Vancouver! O Charlie está chegando aí para animar a vida de vocês!!!

Quanto?

Ah, só $15,00 (quinze doletas!!!)

Baratinho, vai?

Aos brazucas que ficarão por aqui mesmo, comprem o livro através do site do Meu Amado, assim vocês ajudam não só a mim, mas a ele também, ok?

Quanto?

Nesse caso, R$30,00 + frete (uns 35 mangos, molezinha também!)

Ah e os livros ele envia direitinho pelos Correios e até manda e-mail com o código de rastreamento, certo?

Eis o link: th.art.br/_produtos/comoserumbommarido.html

ComoserumBomMarido_PagSeguro

Espero que tenham entendido essa novela toda que eu escrevi!

Um grande abraço e muito obrigada pelo carinho, pela atenção e pelo tantão de visitas que venho recebendo aqui no WordPress ultimamente!

Beijos e abraços do Bom Marido, da Boa Esposa, do Lucky, e do Charlie também, claro! 😉

Papai, Mamãe e Bebê!