XLVIII. Joyeux Anniversaire, Mon Amour!

http://www.aboutsaopaulo.com/

25 de Janeiro. Aniversário de São Paulo.

Mas também é o dia em que meu amado, idolatrado, salve salve “namorido” nasceu.

E, como era de se imaginar, cá estou eu longe dele, viajando a trabalho e impossibilitada de abraçá-lo e beijá-lo muito neste dia tão especial.Le baiser

O que fazer?

Graças à tecnologia, já enviei mensagens, recados, torpedos e tudo mais para desejar a ele um Feliz Aniversário.

Casal bonitoMas, de repente, eu paro e penso que, obviamente, seria muito melhor se hoje cedo eu tivesse acordado ao lado do Meu Amado e tivesse levado um maravilhoso café da manhã na cama para ele, com direito a um simples e delicioso bolo feito por mim…

Fico triste por não poder fazer isso hoje, em pleno aniversário dele. Porém, isso não significa que eu não irá fazê-lo em algum outro dia, certo?

Então, Mon Amour, não se assuste se um dia você acordar de manhã e sentir um cheirinho de bolo quentinho, saindo do forno.

Mas também não fique esperando por um “Senhor Bolo”, digno de ser destaque em uma famosa confeitaria!

Pode ser que saia à lá sola de sapato, ou tipo as panquecas trágicas que eu tentei fazer aquele dia… (para refrescar a memória clique AQUI!)

Natal2011No entanto, será um bolo, oras!

___

Brincadeiras à parte, eu desejo a você, Meu Príncipe Encantado, um maravilhoso aniversário, muitas felicidades, muitas alegrias, muitas conquistas e muito dindin no bolso para que você consiga realizar todos os seus sonhos e objetivos.

Que nesta nova etapa que se inicia, você tenha muita força e muita coragem para colocar em prática todos os seus projetos, desde os mais simples até os mais mirabolantes! E, acima de tudo, que você nunca deixe de ser esse cara maravilhoso, carinhoso, romântico, educado, generoso, bondoso, cavalheiro, tranquilo e companheiro que eu tanto amo!

Obrigada por tudo, Mon Amour!

Joyeux Anniversaire!

Je t’aime beaucoup!!!!!!!!!

😉

E para encerrar, eis o poema que eu fiz recentemente para um cara muito especial:

Eu Redescobri o Amor

Casarão da Vó Fulô - Bahia - 2012

E que mané “Roberto Carlos”! Esse cara é o Thierry!  

E esse cara é só MEU! rs

😉

XL. Relacionamento e Tecnologia

Papai e Mamãe falando comigo no Skype

Papai e Mamãe falando comigo via Skype…

Quando meus pais se conheceram, não existia Internet, telefone celular, Skype, torpedo e todas essas facilidades de hoje em dia. A comunicação era feita através de cartas. Romântico, não?

Imagine só se fosse hoje? Primeiro que, esse negócio de namoro à distância não dá muito certo, salvo algumas excessões. E segundo que, com tantas invenções tecnológicas, meus pais não fariam outra coisa na vida a não ser viverem grudados no computador e no celular. Ou não.

Vejo muitos casais que, mesmo morando perto e se vendo todo santo dia, passam 24h por dia trocando mensagens e ligações. Isso quando não vivem vigiando o Facebook do namorado ou da namorada, para ver quem passa por lá deixando recados. E dependendo do teor do recado e de quem o enviou… tsc tsc tsc! É confusão na certa!

O Bom Marido, no caso o MEU, lógico, sabe que eu tenho diversos amigos e contatos do sexo masculino. Até aí tudo bem. Mas uma coisa muito bacana que ele faz é respeitar meu espaço, meu sossego e minha privacidade, além de evitar ficar caçando pelo em ovo e inventando briguinhas por causa de qualquer recado ou comentário que meus amigos deixam no meu Face.

telefone velhoMandar mensagens o tempo todo para ficar me rastreando? Nem pensar! Meu Príncipe Encantado sabe que eu detesto falar ao telefone e muito menos ser importunada quando estou em meus sempre bizarros horários de trabalho. Para mim, telefone, email, sinal de fumaça, só em caso de emergência.

Telefone Público na Commercial Drive (Canadá)Meus pais até comentam que eu deveria ligar mais vezes, dar notícias com mais frequência… Eu até faço isso, mas somente quando sinto que é necessário. Não convém ficar ligando o tempo todo, gastando créditos, pagando roaming e perdendo meu tempo me estressando com qualquer conversinha inútil de celular.

Ainda bem que Meu Amado é um ser de poucas palavras e também não é de falar muito ao telefone. A gente trata brevemente do assunto que temos que tratar e pronto. É mais fácil eu enviar um email para ele, quando tenho tempo, ao invés de ligar do meu celular!

Vai ver é por isso que a gente se dá tão bem! Nada de cobranças, nada de encheções de saco e muito menos o telefone tocando de hora em hora só para me atrapalhar!

Quem me vê falando ao telefone deve achar que eu sou a pessoa mais grossa da face da terra. Mas não tem jeito. Telefone, para mim, só em caso de extrema necessidade. Na verdade nem sei por que eu tenho um celular! Pelo menos serve para eu saber as horas, já que também não curto usar relógio, não é? Rs!

Comigo é assim: assunto rápido, respostas curtas e, por favor, desliga logo, porque eu tenho mais o que fazer.

Beijo, não me liga!

😉

Tecnologia em excesso

Brincadeiras à parte, realmente acho um absurdo ver tanta gente carente, ciumenta e desesperada que, mesmo vendo o(a) namorado(a) quase todo dia, gastam horas e horas preciosas do dia falando com ele(a) ao telefone… Ah, vão caçar o que fazer! rsrs

____

 

XXXIV. A Dor da Distância

Mais de 15 dias sem postar nada sobre o Bom Marido… Calma, gente, nós estamos bem!

O que acontece é o seguinte: estou no meio de uma longa viagem e até agora não tive tempo de atualizar nenhum dos meus blogs (este aqui, o Elaine Oliveirarte e o CIAVIP Cultural, que é o blog da cia teatral onde eu trabalho).

Fora isso, ainda estou sofrendo com o tal do jet lag*, sendo que isso ocorre no primeiro dia, ou seja, já era para eu ter acostumado… Mas enfim, vamos ao que interessa.

A dor da distância…

Sobrevoando o Canadá

Viajar sozinha para um lugar longe e incrivelmente belo parece burrice quando a gente está em um relacionamento sério. Mas quando isso se faz necessário, seja por causa dos estudos ou por conta de algum trabalho específico, acaba sendo uma ótima oportunidade de reflexão.

Eu não sou lá uma pessoa muio emotiva, que sente saudades de tudo e de todos (a não ser da minha mãe, afinal MÃE é MÃE!) e que chora por qualquer coisa. Tudo bem que eu chorei quando o avião estava decolando, mas isso foi porque eu estava muito ansiosa e com medo do que viria pela frente…

Eliane, Thierry e eu tomando um bom café antes do meu voo!Mas ah! Que bobagem! 5 semanas passam voando e eu não estava indo morar em outro país, apenas indo fazer um curso. Mas eu chorei. Lembrei de todo o esforço que minha família (incluindo Meu Namorido) fez para que eu realizasse esse sonho. Lembrei da minha irmã e do meu namorado que foram me levar ao aeroporto e ficaram lá comigo até eu embarcar. Lembrei que meu pai não pode me levar ao aeroporto porque estava se sentindo muito mal e minha mãe teve que ficar em casa para cuidar dele… E para mim essa foi a pior parte: não estar com meus pais no aeroporto e viajar preocupada com a saúde do papai.

Lembrei da expressão de ansiedade misturada com preocupação e felicidade da minha irmã que, diga-se de passagem, é a melhor irmã do mundo! E claro, lembrei da tristeza no olhar do Meu Amado acenando para mim até eu desaparecer no portão de embarque.

Essas coisas mexem com a gente.

Viajar é sempre uma nova descoberta, uma nova experiência e um dos melhores investimentos que uma pessoa pode fazer por si mesma.

Eu, particularmente, estou amando essa viagem, mas muitas vezes sinto uma estranha melancolia, pois tudo o que eu vejo de belo e agradável, me faz pensar: “Puxa… Bem que o Thierry poderia estar aqui…”

Canada PlaceQuando entro em uma loja e vejo algum item bem bacana, logo penso: “Vou comprar para o Thierry!”

Tudo me faz pensar no Meu Príncipe. A cidade, os passeios, a estrutura, a comida, o clima… Eu estou conhecendo muitas coisas incríveis e que valeriam muito mais a pena se ele estivesse ao meu lado.

Estou até pensando em juntar uma graninha e convencê-lo a vir passear comigo aqui. Vale muito a pena. Mesmo que as coisas sejam bem caras nesta cidade, vale a pena, pois tudo é lindo, agradável, confortável, limpo, organizado e acolhedor. Estou gostando tanto que eu até já pensei em morar aqui! rs

Talvez um dia, quem sabe eu não convença o Bom Marido a sair um pouco da toca, conhecer novos lugares e vivenciar essas experiências incríveis, não é mesmo?

Mas por enquanto tenho que me contentar em viver minhas próprias experiências, realizar meus sonhos, fazer meus cursos e aproveitar o máximo possível a minha estadia aqui neste lugar tão tão distante…

A distância dói, mas é perfeitamente suportável. Além disso, serve de inspiração e reflexão sobre tudo o que realmente é importante e valioso em nossas vidas.

E que venham mais e mais viagens, de preferência com Meu Amado junto!

Thierry e eu no Skype

Bendito seja o Skype em nossas vidas!

😉

Para quem não sabe, estou em Vancouver, CA. Estou aqui estudando para dar uma aprimoradinha no meu Inglês! Chique, não?

*Jet Lag ou descompensação horária, ocorre quando uma pessoa viaja para outro país e não consegue se habituar ao horário local. (Aqui em Vancouver, por exemplo, quando são 20h (meia-noite no Brasil) eu já estou morrendo de sono… E quando são 4h da madruga (8h no Brasil) eu acordo assustada, achando que estou atrasada…)