CV. Juntos somos mais fortes!

IMG_8815

Apesar do blog (e do livro) se chamar “Como Ser Um Bom Marido”, é inegável que a “Boa Esposa” também tenha que existir, senão não rola o equilíbrio.

Desde o lançamento do livro em 07 de dezembro de 2013, tenho percebido várias reações das pessoas com relação ao título e à capa do mesmo. Dentre estas reações, as mais bizarras foram as de algumas pessoas mais velhas que acham que eu não tenho vivência o suficiente para escrever sobre um relacionamento.

Recebi muitos elogios pelos meus textos, pelo meu empenho e pela ousadia de lançar um livro que trata de um tema tão complexo que é o casamento. Complexo, pois não é só dizer “sim” no altar e viver feliz para sempre. Tem todo um desenrolar de situações e comportamentos que vão desde o namoro e se prolongam até que a morte (ou o divórcio) marque o ponto final.

Mesmo não estando oficialmente casada eu sei disso!

Mas para alguns, colocar um sapo na capa de um livro e um título que fala em “Como Ser Um Bom Marido” é um absurdo. É uma ofensa. Quem sou eu para falar de Bom Marido? Por que não coloquei “Como Ser Uma Boa Esposa”? E por aí vai…

Esses questionamentos nunca foram um problema para que eu continuasse firme e forte na minha missão de mostrar ao mundo como um relacionamento pode sim durar nos dias de hoje.

Nunca propus que fosse perfeito. Nunca propus que fosse eterno. Só proponho que seja uma troca justa e verdadeira. Mais que uma parceria, uma equipe que joga junto, ganha ou perde JUNTO. E tenho dito!

____

E falando em jogar junto, o Meu Amado e eu começamos muito bem o ano nessa pegada.

A princípio, notei que não custava nada eu tentar me arriscar mais vezes no fogão ao invés de deixar essa função somente para ele.

Comecei com um macarrãozinho ao molho branco e legumes, depois um purê de batata-doce e gengibre e isso se estendeu pelos sucos que começamos a tomar desde que assistimos a alguns documentários sobre alimentação.

Nesse caso, nenhuma mudança é ou deve ser radical para que a situação se estabeleça. Dizem que uma pessoa leva cerca de 66 dias para se habituar a uma nova rotina. Pois bem, o Bom Marido e eu ainda estamos nos primeiríssimos passinhos de bebê para uma alimentação mais saudável. De pouquinho em pouquinho a gente chega lá.

Desde que começamos a namorar, acredito que ele tenha mudado (para melhor, digamos assim) muito mais que eu. Parou de fumar, reduziu o consumo de refrigerante, começou a se interessar por frutas, legumes e verduras, reduziu a ingestão de açúcar e até mesmo a carne vermelha, que ele tanto ama.

Talvez tenha mudado por minha causa. Talvez tenha mudado por questões de saúde (ou por causa dos preços no supermercado!!!). Que seja.

Em 5 anos muitas coisas acontecem na vida das pessoas. Influências, situações, pessoas que chegam, pessoas que se vão… Tudo isso serve para um amadurecimento e para uma mudança de comportamento. Tudo nos afeta de alguma forma, mesmo que a gente insista em dizer que nada nos abala. Abala sim. Em maior ou menor escala, mas abala!

Mas o bom de tudo é poder mudar (para melhor, sempre) em equipe, ainda que sejam  apenas dois membros. Um acompanhando as mudanças do outro. Mudando juntos, melhorando juntos, aprendendo juntos. Sem forçar, sem obrigar, sem encher o saco. Tudo de forma orgânica e harmônica. Certo?

____

Sendo assim, em ritmo de mudança e experimentação, segue um pouco mais do nosso desenrolar com a história dos sucos e afins:

::: Nada como almoçar um lanchinho leve como esse da primeira fotinho acima:

  • Pão caseiro com patê de atum, acompanhado de salsão e alho-poró!

::: À tarde, um suquinho diferente:

Receita do já citado site do Joe Cross (Reboot With Joe):

Ingredientes:

  • 3 tomates grandes
  • 3 talos de salsão
  • 2 cenouras
  • 1-2 pimentas frescas (opcional)

Preparo:

  • Lave bem todos os ingredientes
  • Se necessário, corte em pedaços menores para caber na centrífuga (Se fizer no liquidificador, assim como o Bom Marido e eu começamos fazendo, cortar e acrescentar água é sempre importante para conseguir bater tudo direitinho. Neste caso, é bom coar antes de tomar)
  • Processe tudo e sirva!

Substituições:

  • Tomates – rabanete, beterraba, repolho roxo
  • Salsão – abobrinha, pepino
  • Cenoura – batata-doce, beterraba
  • Pimenta – açafrão, pimenta seca

Tempo de preparo: 5 minutos

Rendimento: 1 porção (Como o Bom Marido e eu dividimos tudo o que fazemos, deu 300ml para cada um)

::: À noite, olha que delícia de jantar feito pelo Bom Marido, com a minha ajudinha!

Os Chips também fazem parte das receitas do site do Joe Cross! Acho que viramos fãs desse cara!

Ingredientes:

  • 2 Batatas-doces médias
  • 2 cenouras grandes
  • 2 colheres de sopa de azeite
  • 1 colher de chá de pimenta do reino
  • 1/4 colher de chá de pimenta
  • 1/2 colher de chá de sal marinho

Preparo:

  • Preaqueça o forno em 215º.
  • Descasque as batatas-doces e as cenouras.
  • Corte as batatas-doces ao meio, no sentido do comprimento e corte cada metade em quatro fatias iguais.
  • Para as cenouras, corte-as ao meio. Divida cada parte no sentido do comprimento e e corte cada pedaço em duas ou três fatias, quase do mesmo tamanho das batatas.
  • Coloque as batatas e as cenouras em uma tigela e salpique com o óleo, as pimentas e o sal.
  • Espalhe as batatas e as cenouras em uma assadeira forrada com papel manteiga.
  • Asse por 30 minutos até os pedaços ficarem tenros por dentro e levemente dourados por fora, com as pontas levemente crocantes.

Rendimento: 4 porções

____

E então, gostaram das receitinhas?

Espero que sim!

Obrigada pela visita e até à próxima!

😉

____

 

Fundo_blog

LXXII. Cuidando direitinho

Thierry e Elaine fazendo graçaDevo confessar que tenho andado bem chata, irritada e impaciente esses dias. Qualquer coisinha fora do lugar já me deixava uma pilha de nervos. Muitos problemas, muitas coisas para resolver, a saúde bem abalada…

Minha irritação, internamente, era também uma reação à indiferença das pessoas ao redor. Era como se, no fundo, eu achasse que todo mundo devesse estar a par dos meus problemas e se comover com isso.

Mas não é bem assim. Uma coisa que aprendi bastante com relacionamentos anteriores e, principalmente, com o atual foi que cada um deve estar sempre prestando atenção, não somente ao outro, mas também em si mesmo. Se autoavaliar, se colocar no lugar do próximo, refletir e perceber até que ponto nossas ações e reações estão chateando as pessoas que amamos.

Sorte que tenho o mais paciente dos noivos, mas acredito que, até ele tem saído dos eixos por causa dessa péssima fase pela qual estou passando.

E não se trata de TPM! Desta vez o que me tirou do sério foi ter extraído um siso pra lá de complicado e ter pego um baita resfriado, tudo ao mesmo tempo… E com isso, muitas coisas que eu havia planejado fazer esses dias tiveram que ser descartadas, pois minha recuperação pós cirúrgica foi pior do que eu havia imaginado.

Me lasquei bonito, pois não tive como ir a um super evento literário onde eu poderia ter vendido uma quantidade bacana de livros; paguei antecipadamente por um workshop de TV e Cinema master caro (esse eu tive que ir, pois o acesso era mais fácil), mas não aproveitei 100% do mesmo, tanto pelas dores quanto pela dificuldade de falar e atuar nas cenas propostas… Pelo menos o diretor do workshop e uma das alunas compraram meus livros!

E o pior de tudo: perdi vários trabalhos por causa disso. Tudo bem que uns foram cancelados, outros foram adiados, mas eu acabei impossibilitada de correr atrás de outros, às pressas, para substituir essas perdas.

(Vida de freelancer é assim: corre atrás aqui, corre atrás ali… Se mata, se desdobra, não vive, não come, não dorme e não pode nem pensar em ficar doente…)

E todo esse estresse gerado pelos meus problemas acabou afetando onde não deveria: meu relacionamento.

Tudo bem que, não são apenas nas horas boas que as pessoas devem ficar próximas. Mas eu não gosto de chatear Meu Amado com meus problemas, pois ele acaba absorvendo demais e se entristecendo muito também. Isso sem falar que eu fico nervosa com tudo dando errado e acabo descontando em quem está perto.

Mas como eu já citei várias vezes, tenho sorte de ter um cara tão bacana, carinhoso e compreensivo ao meu lado.

Preocupado com minha saúde e as minhas atuais necessidades, especialmente por causa da alimentação, ele faz tudo pensando em mim: purê de batata com espinafre, frango cremoso desfiado, miojinho, sopinha, etc…

Fora isso ele fica de olho para ver se tomei os remédios e está sempre me trazendo um cházinho, um café, um copo com água! Um verdadeiro cavalheiro e de quebra um ótimo enfermeiro também! hehe

Só mesmo o amor para suportar um rosto inchado, olheiras, tosse carregada, nariz escorrendo, várias assoadas de nariz bem sonoras e nojentas, fora os trajes de mendiga que sempre uso quando estou doente: moletom, blusas de lã, roupão, touca e pantufinhas macias. Cada coisa de uma cor mais bizarra e sem graça que a outra! Um luxo! rs

Mas é isso aí… O amor suporta tudo, mas não é por isso que iremos sobrecarregá-lo com problemas e pendências que precisam ser resolvidas. É só prestar atenção para não transformar o coração em um cesto de roupa suja que só vai aumentando, aumentando até explodir e alguém finalmente resolver lavar.

E hoje é meu aniversário. Ainda estou toda dolorida por causa do siso e ainda estou tentando me recuperar de um resfriado porreta, mas estou feliz e agradecida pelo grande presente que é ter um Príncipe Encantado cuidando de mim com tanto carinho!

Espero que muitos outros namorados, noivos, maridos e afins façam o mesmo por suas amadas!

#ficaadica

LIX. A união faz a… faxina!

Ontem resolvi fazer “aquela” faxina na casa do meu ilustre Namorido.

Não que eu não goste de limpar a casa, mas a situação estava tensa, afinal fazia um bom tempo que eu não dormia no lar doce lar dele.

E acordei disposta a lavar banheiros, cozinha, roupas (dele), área de serviço, garagem e dar aquela limpada bonita nas salas e na área de lazer.

Óbvio que tudo isso seria impossível de fazer em apenas um sábado, mas pelo menos eu tinha que tentar, pois hoje, domingão, iremos receber ilustres visitas aqui na casa do Meu Amado: nossos pais e minha irmã!

A casa é grande e no momento não fazemos a menor questão de contratar uma pessoa para limpá-la, então a gente tem que arregaçar as manguinhas e fazer bonito na limpeza!

faxinaEu disse “a gente”. Sim, pois para a grande surpresa do dia, Meu Príncipe Encantado resolveu ajudar! Ainda bem, pois eu jamais conseguiria dar conta do recado sem ele. Tinha muita coisa para ser feita em apenas um dia e mesmo assim não conseguimos limpar tudo.

E olha que eu nem precisei pedir! Meu Amado já foi logo arrumando a sala, separando um monte de tralhas para serem jogadas fora, lavou o carro e a garagem, deu uma arrumada na área de lazer e ainda temperou peixe e costelinha para o dia seguinte. Ah, e fez o nosso almoço e o nosso jantar também, muito caprichado, por sinal!

É muito bom quando a gente tem alguma coisa importante para fazer e a pessoa amada aparece para ajudar. É uma demonstração de carinho e consideração pelo esforço alheio.

E outra: nada mais gostoso do que receber visitas em uma casa limpinha, arrumadinha e organizadinha, não é?

Aqui na casa de Mon Amour, por conta da reforma no escritório que ele inventou de fazer, as coisas ainda estão meio bagunçadas, mas pelo menos conseguimos dar uma ajeitada nas partes principais, afim de deixar tudo mais confortável tanto para nós quanto para nossas queridas visitas.

E fica a dica para casais ou outras pessoas que moram no mesmo lar: “a união faz a… faxina!”

____

faxina2Não é justo deixar tudo para a outra pessoa fazer só porque você acha que o que você faz já é o suficiente. Muitas pessoas trabalham fora o dia inteiro e quando chegam em casa só querem saber de descansar. Chega o fim de semana: cerveja e sofá. Trabalho? Nem pensar.

Mas hoje em dia muitas mulheres também trabalham fora para ajudar nas despesas da casa (e para não dependerem do dinheiro do marido) e ainda são obrigadas a esticar a jornada tendo que cuidar da casa, dos filhos e até mesmo do maridão que acha que já trabalhou o suficiente e que não precisa fazer mais nada em casa a não ser trocar uma lâmpada (mas só se a esposa lembrá-lo) e consertar o chuveiro (mas só se a água gelada lembrá-lo)…

Um Bom Marido é aquele cara que valoriza a Boa Esposa e não tem preconceito com o serviço doméstico. Ele limpa, lava, cozinha, cuida, ajeita, guarda, conserta, reforma, decora e faz o que estiver ao seu alcance para tornar a vida da amada menos complicada e sem esperar que ela peça. É um sujeito proativo e observador.

É como uma parceria. É preciso ter muita compreensão, muito companheirismo e muita união em um relacionamento. E claro, muito amor e carinho também!

Essa é uma grande dica para um relacionamento mais feliz, tendo inclusive saído uma pesquisa na Universidade de Cambridge que mostra que homens que fazem faxina são mais felizes, afinal quando o marido ajuda a esposa no lar, sobra mais tempo para os dois curtirem a vida juntinhos, não é verdade?

Está dado o recado!

😉

____

Ah, vejam só o jantar que ele preparou para nós: um delicioso Tortelini Tricolore Dona Benta com molho branco, presunto, queijo e muitas especiarias. Ficou parfait!

Tortellini Tricolore Dona Benta=D

XLV. Fim de Ano

Ano novo em Bertioga 2010/ 2011

Thierry_Elaine(2)Fim de Ano é sempre algo triste, estranho, depressivo…

Mas ao mesmo tempo o fim de ano marca uma data muito importante na minha vida e na vida do Bom Marido. Marca o momento em que decidimos que nosso relacionamento deveria ficar sério.

E exatamente dia 29 de Dezembro de 2012 completamos 2 anos de namoro.

E o que dizer sobre isso?

Bom, só tenho a dizer que eu nunca imaginei que eu pudesse voltar a me apaixonar por alguém novamente. Pensei que minha vida seria apenas trabalho, trabalho e mais trabalho.

Eu realmente estava de cara virada para o amor, mas isso até me reencontrar com o Thierry e descobrir que, pouco a pouco, a gente poderia construir um relacionamento saudável e tranquilo.

E há dois anos tem sido assim. Muito companheirismo, muito carinho, muito amor, muita compreensão e muitas alegrias.

Thierry_Elaine(3)E espero que continuemos assim por muitos e muitos anos, até ficarmos bem velhinhos e ainda assim um ajudando o outro. O Meu Príncipe, claro, sempre estará tranquilão, falando baixo e vivendo na lei do menor esforço… Já eu, baixinha arretada, continuarei tagarelando, reclamando de tudo e fazendo mil coisas ao mesmo tempo…

É… E olha que eu nunca pensei em envelhecer ao lado de ninguém antes!

Mas enfim, que os anos só fortaleçam mais e mais nossa união.

E que os anjos falem “Amém”!

Feliz 2 anos de namoro, Mon Amour!

Je t’aime beaucoup!

____

Thierry_Elaine(1)

Casarão da Vó Fulô - Bahia - 2012

Thierry_Elaine

Ano novo em Bertioga 2010/ 2011

Bahia - Jan/ 2012

Ano novo em Bertioga 2010/ 2011

Aniversário Elaine - junho/ 2012

XXXVIII. Confiança

Ah, essas minhas viagens

Viajando a trabalhoQuando não são para estudar, são para trabalhar!

E, sem dúvida, o pobre do Bom Marido é quem mais sofre com isso.

Mas o que eu posso fazer?

Eu tenho que trabalhar. Tenho que garantir meu sustento e alavancar minha carreira.

Infelizmente não posso ser a “Esposa dos Sonhos”, aquela Amélia que fica o dia inteiro em casa fazendo de tudo para o marido.

Ainda bem que ele entende isso. Por mais que eu perceba seu triste olhar, sei que ele sabe que não existe outra alternativa, a não ser ganhar na Loteria, não é? Assim eu não precisaria trabalhar tanto!

Mas eu gosto de trabalhar. Acredito que, mesmo se eu ganhasse na Loteria, eu continuaria trabalhando alucinadamente, afinal esse é o combustível para minha vida.

E enquanto estou aqui no meio de mais uma viagem a trabalho, não consigo deixar de pensar no Meu Amado.

Muita gente deve se perguntar se eu não tenho receio de viajar e deixar meu “namorido” sozinho por aí.

Tudo é uma questão de confiança e de consciência também.

Eu sei que posso confiar no Meu Príncipe Encantado.

E o Meu Príncipe Encantado pode confiar em mim também e pronto!

Minha consciência está mais do que tranquila. Todo o tempo do mundo que eu tenho livre sem estar com Meu Amado ou minha família, estou com meu Trabalho, que é minha outra grande paixão.

Todo mundo sabe disso.

Thierry nanando com o gato

Olha que lindos meus dois bigodudos! *.*

E outra coisa: eu não fico procurando pelo em ovo ou imaginando “coisas” quando estou longe do Bom Marido. Prefiro confiar e acreditar que tudo está na mais perfeita ordem.

E espero que ele esteja fazendo o mesmo lá na casinha dele, sossegadinho, com nosso “bebê” Lucky a tiracolo!

Não é, Mon Amour?

Aguente aí mais esses quinze dias que já já eu estou de volta, viu?

Gros bisous, mon cher!

Je t’aime beaucoup! ^^