LXXXIX. Homens que fazem faxina fazem mais amor!

Tá, Ok! Eu sei que o certo seria dizer: “Homens que fazem faxina transam mais”, porém eu sou uma lady e uso o termo “fazer amor”, pois é mais bonitinho!

(Mentira! Quem me conhece, sabe que eu sou bem desbocada e uso termos engraçadíssimos para essas coisas! Agora venho querer me fazer de santa? Essa não cola, Dona Elaine. Tsc tsc tsc…)

Baboseiras à parte, resolvi dar uma pausa nas postagens das Aventuras do Bom Marido no Canadá por dois motivos:

Thierry_louça1- As fotos da viagem estão no meu outro note e meu HD ameaçou explodir, então enquanto eu não comprar um novo, não quero fuçar naquele, com medo de perder quase tudo o que eu tenho e que não tive como fazer backup, incluindo as fotos da viagem!!! (Que tragédiaaaa!!! E que burrice da minha parte também!)

::: Mas só para não passar em branco, eis aí ao lado a foto do Thierry fingindo lavar louça em um passeio que fizemos ao Burnaby Museum, no dia 02 de janeiro de 2015.

2- Mandei uns arquivos no Facebook de um amigo e ele pediu desculpas pela demora em responder, dizendo que era por que ELE estava fazendo FAXINA! Hahaha! Até já o imaginei, todo barbado, de aventalzinho, lencinho na cabeça e espanador na mão! Daí brinquei com ele dizendo que homens que fazem faxina fazem mais amor (na verdade não foi bem com essas palavras que eu disse! rs)

E para completar, mais um amigo ouviu de mim uma frase parecida durante as gravações do curta-metragem “O Último Olhar”, no qual atuei recentemente. Esse amigo fez parte da equipe do curta e enquanto as gravações rolavam, lá estava ele lavando toda a louça que usamos e ajudando a limpar a cozinha da dona da casa onde gravamos! Um fofo!

Então, lá fui eu explicar para os camaradas acima os motivos que levam a crer que: Homens que fazem faxina (e lavam a louça) são bem-sucedidos “naquilo”!!! Hehehe!

Bom, se o cara é casado (ou vive junto, namora, enrola, sei lá) e ajuda sua(seu) parceira(o) nos afazeres domésticos, sua cara-metade ficará radiante de felicidade e gratidão pela força e terá muito mais tempo de curtir momentos a sós com ele. Simples assim!

homem_ajudandoImagine uma pessoa que chega toda cansada do trabalho, sendo que o dia inteiro aguentou cliente chato ou criança pentelha ou até mesmo um chefe osso duro de roer e ainda tem que lavar a piiiilha de louça e limpar a casa quando chega?

Nada mais justo que dividir as tarefas com o(a) parceiro(a), não é?

Nem que uma pessoa cozinhe e a outra lave. Ou então, um limpa a casa e o outro leva o lixo lá para fora, ou a mãe arruma as bagunças enquanto o pai cuida das crianças. Enfim, o importante é dividir as funções, afinal foi-se o tempo onde o homem trabalhava enquanto a mulher só ficava em casa cuidando de tudo (o que já era trabalho e tanto, por sinal!)

breakfast_by_ThierryMas se o cara não é casado, porém mesmo assim dá aquele trato no próprio lar e tem o costume de levar uma pessoa especial para passar a noite junto com ele, assistindo a um filminho, ou fazendo um jantarzinho esperto, essa tal pessoa perceberá o asseio do rapaz e estará mais propensa a encarar uma noite de amor com ele.

Aparência conta sim!

Imagine a pessoa chegando na casa do cara e se deparando com bagunça para todo canto, cueca suja no chão, quarto abafado fedendo a bafo e lençol velho, banheiro imundo com o cesto de lixo todo aberto explodindo papel sujo e mais um monte de outras nojeiras que nem ouso citar… Ainda que o cafofo seja de pobre, tem que ser limpinho, cheiroso e arrumadinho, não é?

casalimpaBagunça, sujeira, tranqueira e mau cheiro são coisas para lá de broxantes em um relacionamento (seja ele de uma única noite ou não!)

Então, senhores homens de plantão: dar uma força na faxina faz bem e garante mais tempo de amor na vida do casal!

#Ficaadica

😉

LXVII. A arte do improviso!

Todo relacionamento precisa de um pouco de criatividade e muito bom humor para dar certo. Nessas horas, vale até dar aquela bela improvisada para resolver algum probleminha aqui, outro ali até tudo se ajeitar!

Em uma postagem sobre MATRIMÔNIO eu havia dito que na casa do Meu Amado falta muita coisa para ficar do jeito que a gente gostaria, afinal ele se mudou de um apartamento médio para uma casa grande e tudo o que estava no apê é o que a gente  usa na casa até hoje, como por exemplo o único sofá de três lugares que existe, a velha TV de tubo (que ainda funciona bem, mas não sabemos até quando), uma bicama que agora está encostada (entulhada) ao lado da escada… Entre outras coisas!

Salinha Arrumada 2012A cozinha já veio planejada pelo antigo morador. Ainda bem, senão só teríamos uma mesinha, um fogão, um armário pequeno e uma geladeira para contar história! A mesinha está no canto da sala que seria de jantar, assim como o armário, que virou um porta-treco e cacareco!

Ah! Ainda bem que o fogão e a geladeira que estavam no apê foram descartados antes de irem para a casa, pois o fogão não caberia no espaço do móvel planejado e a geladeira estava mais parecendo uma caixa de isopor furada de tão velha, tadinha! Sorte que a sogrinha providenciou tudo novo para seu filhote amado!

E o quarto? Bom… Como não havia guarda-roupa, sogrinha acabou comprando um bem grandão. A cama, a gente ficou um bom tempo usando a que estava no apê, até o Thierry comprar uma (que ele viu na Internet, rs) e colocar a velha no quartinho das visitas.

Tudo foi se ajeitando aos poucos e lentamente. A sogrinha foi trazendo mais cadeiras para a casa (pois lá no apê só eram duas ou três); Meu Amado comprou umas plantinhas; eu fui tentando limpar e organizar tudo, ora mudando os móveis de um lado, ora do outro… Até que deu para ir arrumando…

Mas uma coisa que ainda estava faltando na casa era uma mesa de jantar.

Almoço_Niver_MamãeA gente sempre comia no balcão da cozinha ou nas mesinhas de plástico da área de lazer (uma já estava aqui, que o antigo morador abandonou com cadeiras e tudo, a outra, foi a sogrinha quem trouxe, rs).

Porém, teve um dia em que minha irmã quis passar um fim de semana conosco e, na hora do jantar, inventamos de comer assistindo a algum filme na TV da sala.

Ela não tem frescura com nada, tanto que ela comeria com o prato no colo de boa, mas como eu havia passado roupas na sala e a tábua de passar ainda estava por ali, o que nós fizemos?

Improvisamos uma mesinha:

DSC03906

Bom, para três pessoas rola, mesmo sendo um tanto… instável!

Só sei que no dia em que o Thierry inventou de fazer aquela enorme PREJEREBA QUE NÃO COUBE NA FORMA, a ideia era convidar uma galera para saborear o peixão… Mas onde o pessoal iria comer? Nas mesinhas de plástico? No balcão da cozinha? No colo? Na tábua de passar???

Prejereba, batata sauté e salada com carambola

Foi aí que o ilustre pescador e também marceneiro Bom Marido resolveu reaproveitar o material que ele estava usando para fazer os móveis do seu escritório e fez uma belíssima mesa para oito pessoas!

Mesa para 8, by Thierry

Plim! Fez tudo em um só dia!

(Ainda bem que já tínhamos as cadeiras!)

Almoço especial

Mesmo assim não coube todo mundo (estávamos em doze naquele dia), porém tivemos o auxílio da velha mesinha que veio lá do apê, há mais de 3 anos… rsrs

Até que foi bem útil!

Almoço na casa de Mon Amour

E assim, todos comeram felizes para sempre!

Almoço na casa do Thierry

😉

____

O bom da vida é justamente isso: saber aproveitar cada momento sem fazer um grande drama por cada coisa que falta. Vai lá e dá um jeito, oras! Reaproveite, crie, transforme, reforme, invente, economize para comprar o que você quer, compre, pinte, decore, faça. Não fique parado reclamando. Mexa-se e use a sua criatividade para deixar o seu dia a dia mais feliz!

____

LVIII. Ele merece a sogra que tem!

Há muito tempo eu comentei aqui sobre a tão temida personagem nas histórias dos relacionamentos: A Sogra.

Mamãe_Thierry_Anita

O Bom Marido ao lado de sua Boa Sogra e sua Boa Mãe.

Vale a pena voltar a esse assunto para falar não somente sobre a minha, mas também sobre a ilustre e magnânima sogra do Bom Marido, ou seja, a minha linda Mamãe! hehe!

Eu observo muitos namoros e casamentos por aí e acredito nunca ter visto uma relação sogra-genro tão carinhosa e verdadeira como a da minha Mãe com o meu Bom Marido.

Já namorei outros caras antes e, obviamente, minha mãe os tratou a pão de ló, como sempre. Mas com o Thierry ela vai além de tratar bem e fazê-lo se sentir parte da família.

Alguém já viu uma sogra que lava e passa com carinho as roupas do próprio genro, quando percebe que ele não vai ter tempo de fazê-lo sozinho?

Alguém já viu uma sogra que separa potes de feijão no congelador especialmente para o genro, só porque sabe que ele adora o feijãozinho que ela faz?

Alguém já viu uma sogra que compra roupas para o genro (do tamanho certinho e da cor que ele gosta), pois sabe que ele está precisando de mais peças no guarda-roupas?

Alguém já viu uma sogra que, quando vai à casa do genro, faz questão de limpar, arrumar, ajeitar, cozinhar e lavar?

Alguém já viu uma sogra que compra cobertores e lençóis para a casa do genro sem ninguém precisar pedir?

Alguém já viu uma sogra que cuida do genro como se fosse filho e não tem a menor implicância com ele e nenhuma crítica sequer a fazer?

Mamãe na cozinha do Bom Marido

A Boa Sogra do Bom Marido reinando na cozinha dele!

Claro que eu sou suspeita para falar da minha e, mas não posso negar que ela só faz isso tudo e muito mais pois ele merece!

É um genro dedicado, educado, cuidadoso, esforçado, tranquilo e que nunca dá trabalho para ninguém. É óbvio que minha mãe faz questão de tratá-lo bem. Ela faz isso sem ninguém pedir. Ela faz por amor e por reconhecer nele um cara de ouro que merece o melhor tratamento da face da Terra.

Sou testemunha ocular disso tudo!

Anita_eu_Joseph

Minha Boa Sogra e meu Bom Sogro após uma apresentação teatral minha.

E no meu caso eu também não tenho do que reclamar!

A super mãezona do Bom Marido, minha digníssima Sogrinha, também faz de tudo para me agradar. Se antes ela comprava coisas para a casa do filho dela pensando em alguma necessidade dele, agora ela pensa nas minhas também!

Ela sabe que eu praticamente moro mais na casa dele do que na minha, portanto sempre que ela vai até lá levar alguma coisa, ela se preocupa se eu também vou gostar ou não!

Acho muito bonito esse amor que ela tem por mim. E é recíproco!

Se esta é a sogra que eu mereço, sinal de que estou sendo uma Boa Esposa (e uma Boa Nora também!)

Ainda bem.

😉

L. Matrimônio

www.almamistica.com.br

Ah, o casamento! Uma celebração tão bonita, tão pomposa e tão… cara!

O Bom Marido (apesar de eu chamá-lo assim) e eu não somos de fato casados. A gente só está um nível acima de um namoro tradicional.

Deux ans de "mariage"Ele mora sozinho, eu moro com minha família, mas passo a maior parte do tempo com ele, praticamente morando junto. Lavo, passo, limpo, guardo, organizo, ajeito, ajudo nas compras… Só não cozinho, mas aí também já é querer de mais!

Costumo manter tudo duplicado: um par de chinelos na casa dele, outro na minha casa; um par de tênis na casa dele, outro na minha casa; metade das minhas “carçolas” estão na casa dele, outra metade na minha casa, e assim por diante.

Até meus livros e cadernos ficam passendo ora pra lá ora pra cá. Eu pareço uma Tartaruga Ninja, sempre com o casco (mochilão) nas costas!

Seria mais fácil eu escolher um lugar fixo para ficar, mas eu não consigo. Por um lado não quero perder os privilégios de caçula na casa dos meus pais. Por outro lado não quero viver um relacionamento do tipo “amasiado” (eita palavra feia) ou “amancebado” (virge, pior ainda!).

Na minha cabeça, as coisas devem ser feitas da forma correta, passo a passo, direitinho, preto no branco.

Tudo bem que, só o fato de eu praticamente morar com o Meu Amado, já me faz pular umas quarenta etapas nesse lance de fazer tudo certinho e direitinho, mas a partir do momento em que eu me mudar de vez para a casa dele, de mala e cuia, o estrago estará feito. Seremos apenas um casal (éca!) amasiado.

Não que eu condene esse tipo de relacionamento, mas não é o que eu quero para mim. Quero contrair matrimônio conforme manda o figurino: no civil e na igreja, com um vestidão arrebatador, e ter todas as pessoas que eu amo – família, amigos, colegas de trabalho – ali testemunhando esse momento.

Le baiserJuro que eu nunca havia pensado em casamento antes na minha vida. Pensei que viveria para sempre morando com meus pais e namorando de vez em quando, sem pensar em algo sério. Eu tinha pavor de compromisso. Achava que nenhum homem era bom o bastante para ser meu marido, isso até conhecer o Meu Príncipe Encantado, não é?

Após dois anos de relacionamento sério, muita coisa mudou, até minha opinião sobre casórios

Mas como a grande maioria sabe, casar é bem caro, principalmente quando você não tem lá muitas pessoas para darem aquela forcinha nos gastos.

O ideal é juntar uma boa graninha com antecedência. Planejar que tipo de casamento o casal quer, contanto que seja original e combine com o estilo dos noivos (ou mais reservado, ou mais criativo, ou mais tradicional) e correr atrás de muitos detalhes: alianças, cartório, buffet, padrinhos, decoração, bebidas, lembrancinhas, músicos, fotografia e filmagem, aluguel de roupas, igreja, padre (ou pastor), data, lua de mel, lista de convidados, convitinhos, lista de presentes, salão de beleza, escolha do vestido, chá de cozinha, despedida de solteiro, entre muitas outras coisas que tomam tempo e custam uma nota! rs

Cozinha Ok!Bom, como sempre dizem: “quem casa quer casa”, se Meu Amado e eu resolvêssemos partir para o enlace matrimonial, pelo menos já teríamos onde morar: a casa dele!

Não é bem a casa dos meus sonhos (eu, por exemplo, faria uma super reforma ali para deixá-la mais funcional e agradável), mas é uma casa. Uma boa casa, por sinal.

E mais: a cozinha está ok, mobiliadinha, tem fogão, geladeira, microondas, cafeteira e etc. A área de serviço também está ok, afinal tem o principal: a máquina de lavar! A suíte também está bacana. Tem cama e guarda-roupa, pelo menos. Os outros banheiros também estão bons, exceto por alguns detalhes que precisam de conserto…

Sala de Jantar? Nada Ok...A sala de jantar não se parece em nada com uma sala de jantar, pois não tem MESA DE JANTAR!!!

A sala de estar está bem vazia também, pois só tem um sofá velho, um rack e algumas tralhas espalhadas pelo chão.

Enfim, se fôssemos fazer alguma lista do que precisa na casa seria algo do tipo: jogo de sofás, mesa de jantar, uma TV bacana, carpetes, cortinas, e itens de decoração. De resto, já tem tudo! Não tem muito o que inventar, fora a tal reforma que eu mencionei anteriormente, rs!

Mas enfim, um dos itens primordiais que um casal precisa quando decide se casar nós já temos: a moradia. Agora é só juntar uma bela grana para todo o resto, fazer a festança, jogar o buquê e partir pra Lua de Mel!

____

Até um bebê nós já temos! É… bem… Não é exatamente um bebê, mas é como se fosse, não? Afinal, animalzinho de estimação é um membro da família.

Nosso felino que o diga!

Gato Folgato outra vez!

Ei, mas espere aí! Nós ainda nem fizemos um jantar de noivado! Tsc tsc tsc!

😉

____

XVI. Chocolate acaba, amor não!

O amor pode ser o doce mais delicioso que uma pessoa pode provar. Se for verdadeiro, bem estruturado e bem construído, diferentemente do doce, não irá acabar.

Esse pensamento veio do singelo gesto do meu amado ao confeccionar um coraçãozinho com o papel do chocolate Bis.

O chocolate acaba, mas o amor não!

Sorte dele que pode comer uma caixa inteira de Bis sem engordar!

___

Voltando a falar sobre o amor, digo que ele não acaba, mas se transforma.

Eu, por exemplo, amo cada dia de um jeito diferente. Ora mais carinhosa, ora mais maluquinha… Tem dias que estou séria, preocupada, excessivamente protetora. Mas isso é porque eu amo o suficiente para me importar. Em alguns dias estou mais dengosa, precisando que cuidem de mim, mas ainda assim amando quem se preocupa fazê-lo. Tudo é carinho, afeto, amor… Cada dia de uma forma, de um jeito que transforma. De dentro para fora e vice-versa.

E o fundamental é quando o amado também segue essa linha.

Amar, melhorar, transformar. Mas nunca acabar.

E o chocolate vem só para dar um charme após um magnífico jantar!

😉