VIII. Tudo tem sua hora (Parte 2)

“Mentir é brincar de enfileirar dominós.” – E. Thrash 2012

(continuação)

::: Parte 2 – Um encontro certo na hora errada. (problemas sérios de comunicação)

O mundo dá muitas voltas e nem sempre a gente acompanha no mesmo pique. Em uma dessas voltas, que por sinal veio poucos meses após eu ter terminado um relacionamento conturbado, o tal amigo esperto do Thierry resolveu atacar novamente.

Não sei se foi a pedidos do próprio Thierry ou se foi simplesmente por conhecer meu trabalho de atriz. Só sei que esse amigo me convidou para atuar em um projeto dele, um nanocurta que iria para o Festival do Minuto.

strogonoff

4 anos depois, Thierry com cabelo curto. 2009

Li o roteiro, achei interessante e então gravamos. Obviamente o Thierry fazia parte desse projeto e naturalmente voltamos a nos envolver. Naquela época ele já fazia jantares incríveis para mim! (vide foto ao lado)

Isso foi em 2009, quando eu ainda estava sob efeitos de antidepressivos, tentando mostrar para o mundo que eu estava bem e que as pessoas não precisavam se preocupar comigo.  Puro engano!

Uma felicidade estranha eu sentia. Eu estava agindo pelo calor das emoções, pela busca desenfreada de sair de uma angústia que eu não queria mostrar para ninguém. Uma confusão de sentimentos e comportamentos que fizeram com que eu magoasse o Thierry, deixando-o sem ao menos me importar com o que ele estava sentindo. Eu estava aparentemente bem e era isso que importava.

Simplesmente segui meu rumo sem olhar para trás. Tanto é que eu nem percebi que o Thierry tinha ficado mal pra caramba, afinal ele já era apaixonado por mim e eu nem sabia.

Mas como eu iria saber? Ele era muito quieto, muito fechado, muito diferente de mim. Eu ficava com ele com a mesma mentalidade de quando eu o conheci, ou seja, sem muito interesse, afinal ele nunca demonstrava nada direito. Eu não queria nada sério com ele. E o pior de tudo, eu estava doente e não estava em condições de reconhecer um sentimento verdadeiro como o amor. Fora as outras mil coisas erradas que estavam desmoronando em minha vida…

Mas enfim… Acabamos nos afastando drasticamente e eu jamais pensei que um dia ele quisesse voltar a falar comigo. Simplesmente segui meu caminho, tentei me curar e fui vivendo, fingindo para mim e para todas as pessoas ao meu redor que nada estava errado comigo.

Até que…

(continua…)

2 Respostas para “VIII. Tudo tem sua hora (Parte 2)

  1. Pingback: XXIV. O tal passarinho do realejo… « Como Ser Um Bom Marido·

  2. Pingback: LIV. Assistindo a um bom filme juntos | Como Ser Um Bom Marido·

COMENTÁRIOS SÃO MUITO BEM-VINDOS!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s