III. Questão de educação

educação

Os requisitos básicos para um homem ser um bom marido são: educação, cavalheirismo, compreensão, generosidade e paciência!

Tudo começa com uma boa educação. Não me refiro a estudos, cursos, mestrados, mas sim à educação recebida em casa, pelos pais. E pelo que conheço do meu amado, a educação que seus pais, de origem europeia, lhe deram foi severa, rígida.

E é assim que tem que ser. Nada muito exagerado que traumatize a criança para o resto da vida, mas o suficiente para essa criança aprender os valores certos logo cedo. Aprender a respeitar e a ouvir o que o próximo tem a dizer. Aprender a ser responsável e a batalhar pelo que se quer. Aprender a merecer o que se quer. Aprender a não fazer escândalos, birras, showzinhos ou qualquer outro comportamento deplorável e fora de controle. Tudo muito regrado, muito moderado, muito… europeu!

Há quem reclame da frieza europeia. Concordo. Mas é muito mais fácil uma pessoa fechada se soltar um pouquinho na medida certa, do que uma pessoa totalmente desregrada (criada bem aos moldes dos pais liberais, desmiolados e molengas que conheço) se conter quando for preciso. E tudo é uma questão de saber dosar as coisas.

Uma pessoa bem educada conhece o certo por obrigação e o errado por dedução. Uma pessoa mal educada, faz tudo errado achando que está certo e quando faz algo certo, nem percebe e continua a viver alienadamente em relação aos valores importantes da vida.

Não vou generalizar dizendo que TODOS os europeus são educados e que todos os brasileiros são mal educados. De forma alguma! Só estou ressaltando que para muitos estrangeiros a prioridade é uma educação que eles acreditam funcionar melhor. E na minha humilde opinião, funciona mesmo! Digo isso por conviver com muita gente (da própria família, inclusive) que não está nem aí com nada, sempre foi o xodozinho da mamãe, sempre foi muito mimado, muito paparicado e não sabe dar valor. E se fizer qualquer besteira, sabe que a mamãezinha vai lá e conserta. Simples assim.

E vai dizer pra essa mamãezinha ou pra esse mimadinho pararem de agir assim? Não tem mais conserto, pois esse costume veio de berço, logo que o dito cujo queridinho cuti-cuti tesourinho da mamãe nasceu. Certamente esse indivíduo se tornou um “sapo” na vida de alguém. Mas isso não vem ao caso agora…

Voltando a falar do bom marido, é muito agradável ver um homem educado, charmoso, bonito e atencioso, não é? Pois é assim que um homem deve ser. Mas e a mulher?

Amor e fidelidade

COMENTÁRIOS SÃO MUITO BEM-VINDOS!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s